Bem-vindo: Out 23, 2018 0:53

Nov 04, 2010 0:09
SantaShreds Estreante
Mensagens: 39
Tesouro Direto
SantaShreds
Registrado em:
Nov 02, 2010 19:37
 
 
Olá pessoal (primeiro post!),

Minha ideia era fazer compras mensais de NTNB Principal, com vencimentos variados, para a aposentadoria daqui a uns 30 anos. Mas as taxas vêm caindo bastante, não? NTNBP 150535, por exemplo, está pagando só IPCA + 5,78%. E nos últimos dias vem caindo, e o preço aumentando...

Acho que lá na frente, se o Brasil se tornar mesmo o país do futuro, essa pode ser uma taxa interessante... Mas só de pensar que tem gente segurando título com taxa pactuada de quase 8%, além de ter uma valorização de +18% no preço, já desanima. Por algum motivo que não sei explicar, minha taxa de referência é de IPCA + 6% para esse prazo longo.

Como enxergam isso? Continuam comprando ou estão esperando taxas melhores?

Não sei como essa taxa é formada, mas do jeito que o mercado tá bombando, não vejo grandes perspectivas.

Nov 04, 2010 0:35
Falling Down Forista Assíduo
Mensagens: 226
Avatar do usuário
Registrado em:
Set 14, 2010 1:10
 
 
Eu estou querendo investir um pouco no TD mas vi que sairam os debentures do BNDES, será que vale mais a pena os debentures? Alguém tem ideia qual rende mais?

Nov 04, 2010 9:23
Minefield
Minefield
 
 
Falling Down escreveu:Eu estou querendo investir um pouco no TD mas vi que sairam os debentures do BNDES, será que vale mais a pena os debentures? Alguém tem ideia qual rende mais?


Saiu? Onde eu vejo isso?

Nov 04, 2010 10:39
DCA Estreante
Mensagens: 59
DCA
Registrado em:
Nov 15, 2007 16:10
 
 
Minefield escreveu:
Falling Down escreveu:Eu estou querendo investir um pouco no TD mas vi que sairam os debentures do BNDES, será que vale mais a pena os debentures? Alguém tem ideia qual rende mais?


Saiu? Onde eu vejo isso?


No próprio site do BNDES, mas a precificação ainda não está definida, será definida após o bookbuilding.

Serão 3 opções:

1) Taxa pré-fixada
2) CDI +x% aa
3) IPCA + x% aa

Nov 04, 2010 19:19
Falling Down Forista Assíduo
Mensagens: 226
Avatar do usuário
Registrado em:
Set 14, 2010 1:10
 
 
Pois é, ontem eu dei uma procurada rápida nas taxas e achei que tivesse entendido errado... Muito estranho, eu boto meu $ e não tenho a menor idéia da taxa que eles vão me pagar, tá certo isso?

Nov 06, 2010 17:33
Walter J.Schloss Forista Assíduo
Mensagens: 243
Walter J.Schloss
Registrado em:
Out 08, 2007 20:00
 
 
OLÁ A TODOS!!!

É isso mesmo. A remuneração será definida pós período de oferta. Acho um modelo ruim, embora não saiba como se deram as anteriores.

O problema que vejo hoje nas aplicações de renda fixa é a indefinição do cenário de inflação e SELIC. Para quem quer saber se aplica em LTF ou LTN é uma *&%$#@. Já peguei LTN a quase 13% e agora nas melhores condições se consegue a 11,6%. Basta dois aumentos moderados na SELIC (fácil de ocorrer com uma inflação em alta) para deixar de ser vantajoso ter LTN neste patamar.

Eu não gosto muito de NTNB. Pagar menos de 6% de juros, com uma inflação pela meta de menos de 5% não me parece um grande negócio. Ainda mais numa estratégia (como a minha) de acumulação e que usa títulos do tesouro mais como hedge que como forma de investimento de LP.

Nov 07, 2010 18:48
Falling Down Forista Assíduo
Mensagens: 226
Avatar do usuário
Registrado em:
Set 14, 2010 1:10
 
 
Eu estou querendo deixar um pouco em RF, algo que renda mais do que a poupança. Qual opção do TD (ou outra aplicação) você recomenda?

Nov 09, 2010 21:46
SantaShreds Estreante
Mensagens: 39
SantaShreds
Registrado em:
Nov 02, 2010 19:37
 
 
LTN 010113 (prefixado) tá pagando 12,10% aa nesse momento. Acho que vou garantir uma fatia e ficar de olho pra ver se não sobe mais.

NTNB Principal 150535, por outro lado, é uma decepção: IPCA + 5,71% aa, cada dia pior!

Nov 12, 2010 16:23
Thizo Estreante
Mensagens: 31
Avatar do usuário
Registrado em:
Mai 04, 2010 17:29
 
 
Prezados,

Também to começoando aqui no fórum mas ja tenho TD faz um tempo.
Hoje to com LTN para 2012 à 11,67%, NTNB para 2015 à 6,57% + IPCA e NTNB Principal para 2035 6,20% + IPCA.
Tirando o fato dos juros semestrais no NTNB que me incomoda um pouco (comprei errado e nçao sabia q era assim), to bem contente com as taxas, principalmente com a do NTNB principal.
Entendo que 6,20 + inflação é uma taxa excelente quando falamos para mais de 20 anos.
Mas vi que o pessoal aqui não tá muito contente não!
Será que eu to tendo uma análise errada das taxas?
Opiniões!

Abraço.

Nov 14, 2010 20:52
SantaShreds Estreante
Mensagens: 39
SantaShreds
Registrado em:
Nov 02, 2010 19:37
 
 
Thizo escreveu:Entendo que 6,20 + inflação é uma taxa excelente quando falamos para mais de 20 anos.
Mas vi que o pessoal aqui não tá muito contente não!
Será que eu to tendo uma análise errada das taxas?


Concordo se essas são taxas boas sim! Se tudo der certo e o Brasil for pra frente, não veremos prêmios bons assim no médio prazo.

Só que a NTNBP 051535 tá pagando nesse momento 5,63% + IPCA. Você faria uma nova compra de títulos com essa taxa?

Espero ter a chance de abocanhar algumas NTNBPs com taxas maiores que 6%. Caso contrário a minha ideia de compras mensais para a aposentadoria vai por água abaixo se as taxas continuarem caindo desse jeito.

Nov 16, 2010 10:29
Thizo Estreante
Mensagens: 31
Avatar do usuário
Registrado em:
Mai 04, 2010 17:29
 
 
SantaShreds escreveu:
Thizo escreveu:Entendo que 6,20 + inflação é uma taxa excelente quando falamos para mais de 20 anos.
Mas vi que o pessoal aqui não tá muito contente não!
Será que eu to tendo uma análise errada das taxas?


Concordo se essas são taxas boas sim! Se tudo der certo e o Brasil for pra frente, não veremos prêmios bons assim no médio prazo.

Só que a NTNBP 051535 tá pagando nesse momento 5,63% + IPCA. Você faria uma nova compra de títulos com essa taxa?

Espero ter a chance de abocanhar algumas NTNBPs com taxas maiores que 6%. Caso contrário a minha ideia de compras mensais para a aposentadoria vai por água abaixo se as taxas continuarem caindo desse jeito.


Realmente as taxas estão caindo muito. Mas mesmo assim ainda acho que para 20, 30 anos não há taxas melhores. E sim, acredito num crescimento normal do país.

Eu compraria novos títulos as taxas atuais, porque acredito que para este crescimento teremos que passar por uma redução da Selic e a poupança não irá se sustentar. Vimos isto na crise de 2008 quando a Selic foi reduzida por medida de emergência e já cogitavam tributar a poupança.

De qualquer maneira. Alguém conhece algum outro invesimento que garanta uma taxa de juros iguais estas para 20 anos?


OFF: Ouvi hoje cedo na CBN que estão esperando um estouro de IPCA para os próximos anos. Será mesmo?

Abraço

Nov 16, 2010 17:21
Thizo Estreante
Mensagens: 31
Avatar do usuário
Registrado em:
Mai 04, 2010 17:29
 
 
Fraj*la escreveu:
Thizo escreveu:.....
OFF: Ouvi hoje cedo na CBN que estão esperando um estouro de IPCA para os próximos anos. Será mesmo?

Abraço
Se a toda poderosa baixar os juros na marra, passando um rolo compressor sobre a autonomia do BC, é bem capaz mesmo, heheeheh, mas, pelo menos com juros baixo, as contas do governo estariam menores, ehheeheh :lol: , já que não diminuem a gastança, uma forma seria baixar os juros na marra, como se faz na Argentina, e ainda daria uma forcinha para a indústria nacional devido a este possível cenário termos menos capital especulativo entrando para especular com RF.
Meta da presidenta eleita é um juro de real de 2,5% a.a. senão me engano(juro real é taxa de juros básica - inflação).

E, afinal de contas, o Brasil não conseguiria sobreviver com uma inflação um pouco maior, mas vigiada de perto , em troco de um crescimento maior, mas com mais investimento do governo em infra-estrutura e educação para não termos apagões de infra e mão-de-obra ??? :roll: :roll:


É, vamos ver o que nossa presidenta vai apresentar como programa de governo quanto aos juros básicos. Concordo em sacrificar o patamar que temos hoje na inflação para aumentar o crescimento, mas acho q nossa cultura de medo da inflação não vai permitir.

Quando eu estudei no colegial lembro que a inflação era representada por um enorme mostro verde! rsrs É nossa cultura.

Nov 22, 2010 17:16
-PSB- Estreante
Mensagens: 85
-PSB-
Registrado em:
Jun 30, 2008 14:31
 
 
Boa tarde, alguém por acaso pode me ajudar na seguinte relação:
selic com possibilidade de aumento qual titulo do tesouro direto devemos comprar.
selic baixando qual titulo do tesouro direto devemos comprar.

sei que tem uma relação entre alta da selic e tipos de títulos, mas não consigo achar algo que me esclareça.

obrigado

Nov 22, 2010 21:28
SantaShreds Estreante
Mensagens: 39
SantaShreds
Registrado em:
Nov 02, 2010 19:37
 
 
PAULO SERGIO escreveu:selic com possibilidade de aumento qual titulo do tesouro direto devemos comprar.

selic baixando qual titulo do tesouro direto devemos comprar.


A lógica diz que se a SELIC vai subir você deve comprar títulos pós-fixados, já que sua rentabilidade vai acompanhar esse crescimento. Seriam as LFTs, a opção considerada mais conservadora dentre todas.

Nesse mesmo cenário, um título prefixado como a LTN vai sofrer, já que os ganhos da taxa pactuada serão relativamente menores que a taxa básica crescente.

Isso tudo na teoria, claro. Na prática, o negócio é observar as oportunidades e compor uma carteira de títulos equilibrada de acordo como o momento do mercado e das suas necessidades.

Dez 18, 2010 18:42
worldtrading Forista VIP
Mensagens: 2155
Avatar do usuário
Registrado em:
Out 16, 2010 18:28
 
 
Quem estava reclamando das NTN-Bs elas estão boas. Acima dos 6% + IPCA
As LTNs pré-fixadas pra 2012 e 2013 estão boas também. Na minha opinião

Dez 20, 2010 20:57
SantaShreds Estreante
Mensagens: 39
SantaShreds
Registrado em:
Nov 02, 2010 19:37
 
 
Não sei, ainda não tô gostando dos prêmios nas NTNBs... Principalmente as principais de maior prazo (2024 e 2035).

Bom, entrei nessa há 2 meses e reparei que a volatilidade é bem alta mesmo. Até que meus títulos obtiveram valorização razoável... Mas vou esperar um repique que melhore as taxas para comprar mais.

Parece que a possibilidade de não elevação da SELIC no ano que vem deu uma piorada nesses prêmios. Vamos ver se a inflação sobe às alturas pra ver se a situação melhora.

Jan 04, 2011 10:00
SantaShreds Estreante
Mensagens: 39
SantaShreds
Registrado em:
Nov 02, 2010 19:37
 
 
Fraj;la escreveu:SantaShreds,
Acho que inflação não vai mais as alturas hein, ehehh, agora em dezembro/2010 o governo já enxugou mais de R$ 60 bi do mercado e se for preciso vai enxugar mais...

Estou apostando na competência da equipe da Dilma, é torcer para que dê certo, não quero ver o Brasil recuar após 20 anos de avanço, por mais que eu tenha ojeriza do PT e cia :) .


Você está certo... Vamos torcer! Espero que com a possível redução da meta de inflação mencionada pelo Tombini essas NTNBs melhorem um pouco seus prêmios... Olha só que tristeza a posição atual:

NTNB Principal 150515 6,08%
NTNB 150515 6,08%
NTNB 150517 5,90%
NTNB 150820 5,89%
NTNB Principal 150824 5,74%
NTNB 150824 5,79%
NTNB Principal 150535 5,53%
NTNB 150535 5,65%
NTNB 150545 5,54%

Preciso comprar mais para LP mas não vou pegar só isso de prêmio, nem ferrando. :)

Jan 19, 2011 12:06
SantaShreds Estreante
Mensagens: 39
SantaShreds
Registrado em:
Nov 02, 2010 19:37
 
 
Acho que tá na hora de movimentar um pouco esse fórum, hehe.

Ontem comprei um pouco de LTN 010114 a 12,79%!

E vocês, andam comprando o que?´Só na espreita... Assim que der um repique nas NTNBs eu abocanho mais um pouco.

Jan 19, 2011 12:47
Willy Fog Forista Assíduo
Mensagens: 1493
Avatar do usuário
Registrado em:
Abr 26, 2009 23:32
 
 
Tesouro Direto X Fundos de Renda Fixa: quando um é mais vantajoso que o outro?

Recomendar!Por: Thiago Salomão
19/01/11 - 11h36
InfoMoney




SÃO PAULO – Foi-se o tempo em que o investidor era “refém” de terceiros para realizar investimentos no mercado de renda fixa. Através do Tesouro Direto, podemos comprar ou vender títulos públicos sem sequer sair de casa. Além da praticidade, o Tesouro Direto mostra-se mais vantajoso do que os fundos de renda fixa em pontos cruciais, tais como os custos e a rentabilidade do investimento.

Apesar de tudo isso, os fundos de renda fixa permanecem firmes na liderança do mercado brasileiro, fechando 2010 com a maior captação líquida da indústria (R$ 38,4 bilhões) e participação de mais de 27% no mercado de fundos de investimentos, segundo o boletim de dezembro da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiros e de Capitais).

Assim como o homebroker foi para o mercado de ações, o Tesouro Direto trouxe ao investidor comum a capacidade e a autonomia de realizar e gerenciar suas próprias operações no mercado de títulos públicos sem a necessidade de intermediadores - basta ter uma conta em uma corretora licenciada. Mesmo com tantas vantagens, o Tesouro Direto ainda mostra-se distante dos sólidos números do mercado de fundos de renda fixa. Por que isso ocorre?

Falta de informação ainda é um entrave
Um dos empecilhos para a expansão do Tesouro Direto ainda é a falta de informação que os investidores têm dessa forma de investimento. É o que explica Emerson Castello Branco Simenes, consultor financeiro e empresarial da CBS Consultoria Financeira. “Se você perguntar para as pessoas o que é Tesouro Direto, poucas vão responder, e dentro desse grupo, um número menor ainda vai saber explicar como trabalhar com isso”, diz o consultor.

Por outro lado, os fundos de renda fixa são produtos comercializados e amplamente divulgados por praticamente todos os bancos, ficando muito mais expostos aos investidores. A diversidade de fundos que são criados incessantemente, aliada à maior comodidade e facilidade que é aplicar em um fundo - já que todo o "trabalho" fica nas mãos de um gestor - fortalece essa tendência, explica Simenes.

Já o professor da Trevisan Escola de Negócios, Ricardo Cintra, comenta que tem percebido por intermédio de seus alunos um interesse maior pelo público jovem em buscar informações sobre o Tesouro Direto. “Eu venho percebendo uma mudança nessa tendência, embora ainda haja uma predominância de falta de informações sobre o assunto”, avalia Cintra.

Seguindo a linha de raciocínio do professor, o consultor financeiro da CBS ressalta que, apesar da facilidade em realizar operações pelo site do Tesouro, os investidores precisam mostrar disposição para saber mais sobre essa forma de aplicação. “Quem vai administrar os seus recursos é você mesmo, você não vai pagar taxa de administração pra banco nenhum”, explica Simenes.

As vantagens do Tesouro Direto:

1. Taxa de administração:
Já comentado anteriormente, um dos pontos favoráveis ao Tesouro Direto está na questão dos custos para o investimento. Conforme explica o professor Cintra, fundos com semelhantes características podem apresentar diferentes taxas de administração, que variam em média entre 1% e 4% ao ano, enquanto que no Tesouro a mesma cobrança feita pelas corretoras giram entre 0% e 1% ao ano.

Outra cobrança que também atinge valores irrisórios na compra de títulos públicos por conta própria é a taxa de custódia, que atinge uma média de 0,4% ao ano sobre o patrimônio, ressalta Silvio Hilgert, diretor acadêmico da XP Educação. “A questão custo é um diferencial bastante expressivo a favor do Tesouro Direto”, frisa Hilgert.

2. Rentabilidade mais atraente no longo prazo:
Outro ponto positivo para o Tesouro Direto está na tributação. Nos fundos de renda fixa, o recolhimento do imposto de renda é feito diretamente na fonte a cada seis meses através do evento conhecido como come cotas, que reduz a quantidade de cotas desse investidor. Isso acaba trazendo um impacto na rentabilidade principalmente em períodos longos de aplicação, já que essa redução de cotas acaba diminuindo a base de cálculo dos fundos, enquanto no Tesouro Direto a base permanecesse inalterada.

Para elucidar a questão: imagine que você comprou R$ 10 mil em cotas de um fundo de renda fixa e R$ 10 mil em títulos públicos via Tesouro Direto. Vamos supor ainda que ambos terão um rendimento de 10% ao ano. No primeiro ano, a aplicação via Tesouro Direto passará de R$ 10 mil para R$ 11 mil (R$ 10 mil + 10%). No ano seguinte, ela irá para R$ 12,1 mil (R$ 11 mil + 10%), ou seja, crescerá em bases exponenciais. Já no fundo, a base de cálculo crescerá em um ritmo menor, já que esta terá como contrapartida a diminuição semestral de cotas provocada pelo come cotas.

Sendo assim, quanto mais longo for o horizonte de tempo, mais rentável será o investimento em títulos público via Tesouro Direto em relação à aplicação em fundo de renda fixa.

3. Valor de aplicação:
A questão dos valores de aplicação também merece ser levada em conta. Segundo o professor da Trevisan, o fato do Tesouro Direto negociar frações títulos – uma quantidade inferior a um título – acaba dando condições para qualquer investidor participar desse mercado. “É uma linguagem comum você falar 0,2 título, por exemplo”, explica Cintra.

Dessa forma, um investidor pode comprar títulos pelo Tesouro Direto utilizando um capital próximo de R$ 200, o que não é tão comumente visto na indústria de fundos de renda fixa – apesar de haver fundos com aplicação mínima de até R$ 100,00, eles não são predominantes no mercado.

As vantagens dos fundos:

1. Comodidade:
Embora no aspecto de custos o Tesouro Direto consiga se destacar positivamente, os fundos acabam ganhando atratividade por outros motivos. A primeira vantagem é a de que o investidor não precisa ter um conhecimento tão profundo de mercado ou saber a diferença entre cada um dos títulos existentes para se tornar um cotista. Basta apenas que você identifique um fundo com objetivos alinhados aos seus e compre cotas dele, deixando nas mãos do gestor o processo de decisão.

Além disso, o fundo também poupa o trabalho do investidor que não deseja gerenciar sozinho as suas aplicações em renda fixa. Embora hoje em dia seja muito prático operar no Tesouro Direto, os fundos facilitam o processo daqueles investidores que não querem passar por todas as etapas necessárias para aplicar nesse mercado – acessar o site do Tesouro, fazer o cadastro, montar a operação, escolher os ativos, entre outros –, explica Hilgert.

O argumento, embora verdadeiro, é visto com maus olhos pelo professor da Trevisan. “Muita gente para quem eu recomendo o Tesouro Direto me responde que isso dá muito trabalho”, comenta Cintra, que avalia a resposta como extremamente imprópria. “Se você está tentando defender o poder de compra do lado de seu patrimônio e diz que prefere aplicar em fundos de renda fixa porque dá menos trabalho do que aplicar em Tesouro Direto, isso é uma resposta que parece pouco séria diante do assunto e das responsabilidades envolvidas”, argumenta.

2. Diversificação:
Outro aspecto positivo para os fundos de investimento em renda fixa é que eles propiciam ao investidor uma maior facilidade em diversificar suas aplicações do que no Tesouro Direto, diz o diretor acadêmico da XP. “Um fundo pode comprar vários tipos de papéis com vencimentos e características diferentes, e o investidor estará participando de tudo isso mesmo com um capital limitado”, explica.

Contudo, mesmo que o investidor tenha uma quantia suficiente para conseguir diversificar suas operações via Tesouro Direto, Hilgert volta à polêmica questão da comodidade: ao diversificar seus investimentos por conta própria, você terá que montar várias operações, tendo que gerenciar cada uma delas. “No caso do fundo, o gestor se preocupará em gerenciar tudo isso, tornando o trabalho mais fácil”, comenta.

3. Liquidez:
Outra questão com relativa relevância é a da liquidez. Visando garantir condições aos investidores que pretendem vender seus títulos de renda fixa antes do vencimento, o Tesouro Nacional realiza uma vez por semana a recompra de títulos – costumeiramente às quartas-feiras. Já na indústria de fundos, a liquidez é quase que diária. “Respeitando o horário que o banco estabeleceu para atender uma possível liquidação de sua posição em um fundo, você recebe o crédito em sua conta no própria dia”, explica Cintra.

A diferença entre a liquidez diária fornecida pelos fundos e a liquidez semanal do Tesouro Direto pode ser um fator extremamente decisivo principalmente para os investidores que aplicam no curto prazo. “A pessoa que vai aplicar por dois ou três anos não vai ficar preocupada se o resgate do Tesouro Direto ocorrerá na quarta-feira ou não. Isso é uma preocupação mais típica do aplicador de curto prazo, que está mais inseguro. Mas isso é um detalhe técnico que não podemos desconsiderar”, afirma o professor da Trevisan.

4. Imprevistos:
Por último, não podemos desconsiderar os imprevistos que podem acabar nos obrigando a se desfazer de nossos investimentos. Embora isso não seja benéfico em nenhum dos casos, os efeitos são menores nos fundos de renda fixa, explica Simenes. "Quando você compra um título de longo prazo, você sabe o quanto vai ganhar se, e se somente se, você resgatá-lo no prazo. Se por um acaso você o resgate antes do prazo, você pode até ter um rendimento negativo nesse investimento", diz o consultor financeiro da CBS.

Por isso, antes de escolher onde aplicar seu capital, faça uma provisão de seus gastos, de modo a evitar - ou pelo menos minimizar - uma situação em que você tenha que vender suas aplicações antes do prazo de vencimento. "Só faça isso se você realmente souber o que está fazendo. Caso contrário, opte pelo fundo de renda fixa", conclui Simenes.

http://web.infomoney.com.br//templates/ ... stimentos/

Jan 19, 2011 23:14
SantaShreds Estreante
Mensagens: 39
SantaShreds
Registrado em:
Nov 02, 2010 19:37
 
 
Fraj;la escreveu:jurão em 11,25% agora :shock:
:arrow: http://g1.globo.com/economia/noticia/20 ... dilma.html


No momento só estão disponíveis para compra as LFTs com vencimento em 2015 e 2017. Não sei pq... Esse ciclo de aperto vai ser longo mas nem tanto, haha!

Libera a venda das NTNBs logo!!!!

AnteriorPróximo

Voltar para Fundos e Renda Fixa

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante