Bem-vindo: Jul 18, 2018 14:08

Set 29, 2011 23:50
Alexis Forista Assíduo
Mensagens: 225
OFF-TOPIC
Avatar do usuário
Registrado em:
Abr 01, 2010 16:47
 
 
Existe algum tópico no fórum relacionado à construçao da usina de Belo Monte? Queria ver a opiniao dos foristas aí..

Set 30, 2011 22:08
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

Set 30, 2011 22:16
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

Set 30, 2011 22:18
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

Set 30, 2011 22:22
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

Out 01, 2011 7:57
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Fraj;la escreveu:
Dick Trade escreveu:img]http://blogdojuca.uol.com.br/files/2011/09/Guedex_20110930A6.jpg[/img]
que paradinha mais estranha esta aí :roll: :lol: ehheh

divertículo
(latim deverticulum, -i, desvio, refúgio)
s. m.s. m.
[Anatomia] [Anatomia] Apêndice oco sem saída (ex.: divertículos do intestino grosso).

diverticulite
(divertículo + -ite)
s. f.s. f.
[Medicina] [Medicina] Inflamação de um ou mais divertículos (ex.: diverticulite aguda).

http://www.priberam.pt/dlpo/default.asp ... erticulite
googlea ricardo teixeira diverticulite y ya lo entiende...

Out 02, 2011 9:35
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

Out 02, 2011 11:23
Teimoso Forista Assíduo
Mensagens: 510
A temperatura
Teimoso
Registrado em:
Ago 07, 2008 21:32
 
 
Um casal de idosos foi ao médico. Terminando o exame, o médico pergunta ao velhinho:
- Me parece tudo bem com sua saúde. Alguma pergunta ou preocupação?
- Sim - diz o velhinho - Depois de fazer amor com minha esposa, em geral sinto muito calor depois da primeira, e depois da segunda, sinto muito frio!
O médico diz que nunca ouviu falar disso e vai pesquisar. A seguir, ao examinar a velhinha, e diz:
- Tudo está muito bem com a senhora. Existe alguma coisa que a preocupa?
A senhora diz que não tem nenhuma preocupação. O médico então diz a ela:
- Seu marido diz ter um problema estranho. Ele disse que sente muito calor depois de fazer amor a primeira vez, e que sente muito frio depois da segunda. A senhora tem idéia do por quê?
- Oh, aquele velho maluco! responde ela: É porque a primeira é em janeiro, e a segunda, em julho!

Out 03, 2011 8:54
G. Gekko Forista Assíduo
Mensagens: 1057
Avatar do usuário
Registrado em:
Out 07, 2008 18:58
 
 
Há um cenário otimista para a economia americana: a Europa decide agir em conjunto contra a crise; o ritmo de crescimento mundial se acelera, aumentando a demanda pelas exportações dos Estados Unidos; políticos americanos chegam a um acordo razoável que pode dar à economia um impulso fiscal agora e restringir os déficits mais tarde; o mercado imobiliário reage positivamente; as empresas, aliviadas, voltam a contratar; e os consumidores, aliviados, a gastar.

Liaquat Ahamed, autor do livro "Os donos do dinheiro".

Mas há pelo menos dois cenários desagradáveis: em um deles, a Europa se torna o epicentro de um terremoto financeiro de proporções semelhantes às do crash da Bolsa em 1929 ou da quebra do banco Lehman Brothers em 2008; no outro, a Europa consegue sair da crise, mas os EUA patinam por mais cinco anos, atolados em crescimento lento, desemprego elevado e políticas erradas.

Ninguém intencionalmente escolheria a segunda ou a terceira opção, mas os formuladores de políticas parecem ter mais chances de tropeçar em um dos buracos do que encontrar um caminho para o final mais feliz.

Por quê? Liaquat Ahamed tem ponderado sobre essa questão. Ele é um administrador de recursos que virou historiador e escreveu o livro "Os donos do dinheiro", que analisa os erros que os bancos centrais fizeram na década de 1920. "Será que é porque as pessoas não sabem o que fazer (ou não há consenso sobre o que fazer)? Ou é a política, em especial, a relutância em fazer algumas pessoas pagarem pelos erros dos outros?".

"Na década de 20, havia muito mais ignorância" – a desatrosa fidelidade ao padrão ouro, o fracasso do Federal Reserve (o banco central dos EUA) em entender o seu papel de emprestador de última instância. Hoje? Ahamed não sabe se é ignorância ou intransponíveis barreiras políticas que impedem os governos de fazer o que precisa ser feito. Naquela época, duas crises alimentavam-se uma à outra: a crise bancária nos EUA e uma crise de dívida soberana na Europa. (Soa familiar?)

Hoje, os EUA tratam sua crise bancária melhor. (Sim, muito melhor, apesar de erros e críticas.) Mas e a Europa? Os problemas vão muito além do inevitável calote da dívida soberana da Grécia. "Estamos discutindo um tornozelo quebrado na presença de falência de órgãos", disse recentemente Lawrence Summers, ex-secretário do Tesouro dos EUA, sobre a situação da Grécia.

A grande questão agora é saber se um calote grego será desordenado (o que seria ruim) ou ordenado (melhor); e se os políticos europeus conseguirão tomar rapidamente medidas que protejam as economias muito maiores da Espanha e da Itália.

Se não conseguirem (ruim), os mercados exigirão taxas de juros tão elevadas para financiar as dívidas desses dois países, que suas economias serão esmagadas (pior), assim como aconteceria com grandes bancos da Alemanha e da França -- que detêm grandes volumes de dívida soberana europeia (pior ainda). O tsunami financeiro resultante rapidamente afetaria a economia dos EUA.

Ahamed vê outra lição dos anos 20. Os poucos movimentos na direção certa na época eram muito pequenos para a escala do desastre econômico. Após 1929, o Fed abriu a torneira do crédito – um pouco. E Herbert Hoover (o presidente dos EUA entre 1929 e 1933) aumentou gastos com obras públicas e promoveu um corte de impostos, mas também foi pouco.

Hoje em dia, "não acho que os keynesianos ou mesmo monetaristas chegaram a perceber que os números para fazer as políticas funcionarem na prática são realmente gigantescos. Todos ficam sempre chocados", disse Ahamed. O programa de estímulo anticíclico de Obama parecia enorme quando foi anunciado, assim como a decisão do Fed, de imprimir dinheiro para comprar títulos – mas em retrospectiva, vemos que talvez ambos os esforços não tenham sido suficientes. Com certeza, alguns defensores do estímulo fiscal e monetário adotados pelo governo americano naquela época, como o professor Robert Barro, da Universidade de Harvard, duvidam que outra grande dose daquelas agora seria de grande valia.

Hoje, impasses políticos na Europa e nos EUA impedem a implantação tanto de políticas de curto prazo necessárias para evitar a volta das economias europeias e americanas a uma recessão, quanto – principalmente – as correções de longo prazo obrigatórias para fazê-las voltar a crescer mais rapidamente no futuro.

A Europa precisa evitar a calamidade financeira agora e decidir se e como irá se mover em direção à integração econômica e fiscal, ou a menos integração. Ela só não pode ficar onde está.

Nos EUA, é difícil ver o que vai mover a economia ao longo dos próximos dois anos: não serão os consumidores, ainda sobrecarregados de dívidas. Não será o mercado imobiliário. As exportações aumentaram, mas as economias de outros países também sofrem. Governos locais, estaduais e federais estão recuando. Pequenas empresas não podem obter crédito, e as grandes empresas olham para todos os itens acima e decidem não contratar.

Uma lição deixada pelo Japão nas últimas duas décadas : um ciclo prolongado de aflições econômicas de curto prazo pode produzir uma doença crônica a longo prazo, uma década ou mais de pouco ou nenhum crescimento. "A possibilidade de um cenário como o do Japão não foi totalmente eliminada para os EUA", advertiu Summers em um discurso recente.

Out 05, 2011 23:03
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

Out 07, 2011 10:03
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

Out 07, 2011 10:04
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

Out 07, 2011 12:05
Benjamin Hap... Forista Assíduo
Mensagens: 138
Benjamin Hap...
Registrado em:
Mai 19, 2009 11:40
 
 
Senhores...

Preciso de um gráfico da cotação do real em Dólar e em Euro (linhas) no mesmo gráfico para um período de 5 anos.

Consegui fazer um exatamente como quero no yahoo:
http://finance.yahoo.com/q/bc?t=5y&s=EU ... usdbrl%3Dx

Porém no eixo y, fica em % e não em valor de real!

Se alguém souber onde conseguir um gráfico desses ficaria agradecido!

Abraços

Out 07, 2011 12:42
investindoalp Forista Assíduo
Mensagens: 1310
Avatar do usuário
Registrado em:
Jun 22, 2011 15:24
 
 
Imagem

A mais pura verdade! Para mim o Brasil só terá uma fachada bonita para a copa, por que o resto continuará a mesma ...

Out 07, 2011 20:19
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Fraj;la escreveu:O cisne negro...

Imagem
KKKK...

Out 07, 2011 20:32
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

Out 07, 2011 20:35
Home Forista Assíduo
Mensagens: 396
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 31, 2010 13:33
 
 
Investidor sem muita experiência na bolsa fica mais ou menos assim:

http://www.youtube.com/watch?v=kfbzXzHO ... re=related

Out 07, 2011 21:08
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Home escreveu:Investidor sem muita experiência na bolsa fica mais ou menos assim:

http://www.youtube.com/watch?v=kfbzXzHO ... re=related
:lol:
Legal...

Out 08, 2011 20:18
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

Out 08, 2011 20:23
Dick Trade Forista VIP
Mensagens: 16202
Avatar do usuário
Registrado em:
Dez 17, 2007 14:21
 
 
Imagem

AnteriorPróximo

Voltar para Geral

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante