Bem-vindo: Dez 17, 2017 4:16

Mar 04, 2012 21:26
Pharma Forista Assíduo
Mensagens: 1901
Entrevista do mês - Janeiro/2012 - Pharma - Respostas
Pharma
Registrado em:
Abr 17, 2010 12:20
 
 
Neomalthusiano escreveu:Primeiramente eu desejo lhe dar os parabéns pela excelente entrevista com respostas de altíssima qualidade.

Obrigado pelas palavaras.
Pude notar o seu interesse pela economia, principalmente sobre como se beneficiar da conjuntura atual. Como ainda não foi aberto outro tópico de entrevistas, tenho vontade de perguntar algumas dúvidas minhas que surgiram:
1 - Caso você acreditasse que existe uma forte possibilidade de ocorrer um cenário de estagflação nos EUA, semelhante ao da década de 1970, quais seriam as mudanças que você promoveria nos seus investimentos? Excluindo metais preciosos.

Se houvesse um cenario de estagflacao como naquele tempo, onde as taxas de inflacao estavam na casa dos 20%+, teria um pequeno nicho de acoes na carteira. Talvez teria algumas empresas de utilidade publica, dependendo do preco em que elas estiverem. Uma grande parte do dinheiro estaria totalmente aplicado em commodities e metais preciosos. Venderia tambem as LTN que possuo e mudaria para NTN. O maior problema com este tipo de cenario eh que o valor REAL da inflacao seria completamente deturpado, como ja o eh agora, ou seja, nenhuma empresa seria capaz de repassar o valor real da inflacao para os consumidores. Olhando pelo lado de consumidor isso e bom, mas pelo o lado de investidor eh terrivel. O alto preco das materias primas impactou o resultado da maior parte das empresas na nossa bolsa e a inflacao real no EUA deve estar girando em torno de 10% ao ano, pelo o menos 50% menos da encontrada no auge da crise dos anos 70.
2 - Mesma pergunta pergunta acima, porém substituindo a situação hipotética por uma crise de caráter deflacionário em nível mundial. Excluindo mais uma vez o investimento em metais preciosos.

Contra uma crise deflacionaria mundial eu estaria com algo por volta de 75% LTN e 25% metais preciosos. Nao vejo nada mais que podera trazer retorno ao investidor. Nessas horas voce tem que proteger capital. Nos anos 30 o unico ativo que se valorizou substancialmente foram os metais preciosos e os seus mineradores. Isso faz sentido porque em uma crise deflacionaria os Bancos Centrais sempre fazem o que eles estao fazendo agora: imprimem rios de dinheiro, forcando inflacao na parte da oferta.
3 - Novamente a mesma pergunta, mas num cenário de hiperinflação no Brasil. Excluindo novamente metais preciosos.

Aplicaria em commodities e moeda estrangeira: Dolar, Yen, Euro, Franco Suico (escolheria a que estivesse com melhores fundamentos no momento)
4 - Prometo que é a última vez que eu repito a pergunta, hehehe. O cenário agora seria uma quebradeira mundial iniciada pelo default dos EUA ou outros países dessa projeção. Também excluindo metais preciosos.

O resultado de uma quebradeira seria a crise deflacionaria mencionada por voce na pergunta 2. Por isso a minha responde ali se aplica aqui.
5 - Vi que você opera com dólar. Chegou alguma vez a cogitar operar com franco suiço? E com Libra esterlina? Você viu alguma vantagem no dólar (como a facilidade de operar mini contratos por exemplo) que suplanta o que as outras moedas oferecem?

Exato. Nao sou fa do dolar mas em momentos de forte stress ele tende a performar melhor que as outras moedas, mas tambem como voce comentou bem, o motivo de eu estar operando mais dolar eh pelo fato deste ter uma liquidez muito melhor nos contratos BMF. Cheguei a operar libra esterlina e euro tambem e desde o meio do ano passado ha tambem a opcao de se operar contratos em franco suico (Tudo via BMF). Bem bacana. Para os valores que opero, a liquidez dos contratos de libra e euro nao sao maus mas para quem esta acostumado com muita liquidez o dolar eh sem duvida a melhor opcao.
No momento nao estou comprado em nenhuma pois com a impressao desenfraada de dinheiro por todos os bancos centrais das moedas mencionadas acima, fica dificil ter confianca para se comprar essas moedas para investimentos.

Acho que eh isso. Boas perguntas e interessante escolha de nick :)
Eh sempre bom tentar visualisar os diferentes cenarios e tentar ter estrategias para todos. Gosto de operar dessa maneira. Tendo analisado com cuidado a atitude dos governos pos a quebra do lehman brothers, parece-me claro que eles ja optaram por inflacao ao inves de deflacao. Por isso, daqui pra frente, ACHO que nao vamos ver uma crise de falta de liquidez como vimos em 2008 mas sim algo mais parecido com os anos 70, pois a proxima vez que houver uma recessao mais profunda na economia, que eh normal em um sistema capitalista, os bancos centrais vao imprimir tanto dinheiro, mas tanto, que sera dificil nao haver uma quebra de confianca. Mas na minha opniao ainda estamos pelo o menos uns 2 anos disto. O negocio e ir acompanhando pois o barco pode mudar de rumo tranquilamente.
Abs

Mar 06, 2012 4:50
Neomalthusiano Forista Assíduo
Mensagens: 739
Avatar do usuário
Registrado em:
Jan 01, 2012 2:40
 
 
Obrigado pelas respostas e pelo cumprimento, Pharma. Vejo que nós temos muito em comum em relação a estratégia de investir. Um abraço e parabéns mais uma vez pela excelente entrevista.

Out 11, 2016 17:00
PETRO2630 Forista Assíduo
Mensagens: 664
Re: Entrevista do mês - Janeiro/2012 - Pharma - Respostas
Avatar do usuário
Registrado em:
Jul 18, 2016 18:09
 
 
Imagem


Alexandre Muller JGP
ENTREVISTA 11-10-2016 | 15h15
9 minutos com Alexandre Muller, um dos gestores que mais lucrou com Petrobras em 2016

http://www.infomoney.com.br/mercados/renda-fixa/noticia/5617060/minutos-com-alexandre-muller-dos-gestores-que-mais-lucrou-com

Anterior

Voltar para Geral

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante