Bem-vindo: Jul 18, 2018 14:23

Jan 27, 2010 18:39
Carlos A. Estreante
Mensagens: 37
Fibria - FIBR3
Carlos A.
Registrado em:
Jan 23, 2009 13:40
 
 
è galera quem quiser pegar fibr3 nesse after ainda pode pois ela deu compra no diario e com o dolar em alta favorece o papel vai dar caldo pois esta muito esticada no diario e no 60 minutos quem quiser aproveite eu enchi o carrinho hoje e a credit suisse fez o mesmo vlw galera.;

Jan 27, 2010 18:40
Carlos A. Estreante
Mensagens: 37
Carlos A.
Registrado em:
Jan 23, 2009 13:40
 
 
E tenho dito

Jan 28, 2010 9:00
Carlos A. Estreante
Mensagens: 37
hJ
Carlos A.
Registrado em:
Jan 23, 2009 13:40
 
 
aMIGOS COMPRADOS EM FIBR3 EU ACREDITO QUE HOJE COMEÇA A SUBIR FORTE POIS ONTEM MOSTROU FORÇA DO PAPEL E DALHE LUCRO BOA SORTE A TODOS OS COMPRADOS

Jan 28, 2010 12:58
hipercelo Estreante
Mensagens: 42
Avatar do usuário
Registrado em:
Nov 26, 2008 11:41
 
 
Olá pessoal. De volta à FIBR3.

Promentendo a subida, principalmente depois das declarações da Votorantin ontem, que saiu en todos os jornais:

http://www.olhardireto.com.br/noticias/ ... 8&id=79320

Abraço aos comprados, e de vagar e sempre voltaremos aos 40.

Jan 29, 2010 11:04
hipercelo Estreante
Mensagens: 42
Avatar do usuário
Registrado em:
Nov 26, 2008 11:41
 
 
A FIBR3 já vai abrir bombando....

Será que o médio prazo se tornará até um curto prazo? Vamos torcer...

Fev 10, 2010 21:40
Je me Souviens Forista Assíduo
Mensagens: 681
Avatar do usuário
Registrado em:
Fev 06, 2009 21:42
 
 
HJ entrei vendido em FIBR3, com objetivo entre 29 - 30,00. O papel tocou no topo do canal de baixa de CP e caiu forte. Além disto, acredito que o nível de endividamento da empresa não justifica a atual cotação dos papéis.


O consenso de mercado para os papéis é R$ 32,00 em 2010, 9% abaixo da cotação atual.

Abs

O papel está em canal de baixa e

Fev 10, 2010 22:48
O Barão Forista Assíduo
Mensagens: 419
Avatar do usuário
Registrado em:
Mai 13, 2009 1:30
 
 
Je me Souviens escreveu:HJ entrei vendido em FIBR3, com objetivo entre 29 - 30,00. O papel tocou no topo do canal de baixa de CP e caiu forte. Além disto, acredito que o nível de endividamento da empresa não justifica a atual cotação dos papéis.


O consenso de mercado para os papéis é R$ 32,00 em 2010, 9% abaixo da cotação atual.

Abs

O papel está em canal de baixa e


Discordo meu amigo, ela está é muito barata. Valendo hoje 50% do seu valor patrimonial, a cotação justa dela é de R$ 70,00 no minimo. E ela nao esta tao endividada assim, ela tem LC de 1,3 ou seja, pra cada um real de divida, ela tem R$1,30 para pagar suas dividas. Lembre que endividamento nao eh sinal de ma administracao ou problemas, é sinal de alavancagem e fortes investimentos em consequencias, grandes retornos. A empresa tem uma excelente administracao, alto lucro, eh uma das maiores do mundo no setor e os precos da celulose nao param de subir.

E muito cuidado com as indicacoes de precos alvos das corretoras, olha o interesse por tras dessas indicacoes. Se voce quer comprar uma acao, vc diz pras pessoas venderem ela ou comprarem mais? Fica a reflexao

Mar 02, 2010 13:37
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Terremoto no Chile impacta indústria global de celulose
02/03 - 07:00 - André Vieira, iG São Paulo




O terremoto no Chile, ocorrido no último sábado, afetou o chamado cinturão de produção de celulose situado na região de Concepción, sul do país, criando paralisação das principais fábricas e incertezas sobre a retomada da normalidade.


Leia também: Ações de Suzano e Fibria sobem mais de 3% diante de paralisação de fábricas no Chile

A CMPC, uma das maiores empresas de celulose do Chile, disse que por motivo de "força maior" interromperá, desde esta segunda-feira, sua produção de matéria-prima para a produção de papel, segundo comunicado assinado pelo diretor-geral, Sergio Colvin, o qual o iG teve acesso.

A paralisação deverá acontecer por inicialmente 30 dias. Mas poderá ser estendida por um período maior caso a infraestrutura logística de abastecimento de madeira e escoamento da celulose via portos, rodovias e viadutos não for recuperada antes disso."Nos próximos dias, esperamos ter uma ideia mais detalhada sobre a real dimensão da situação para recomeçar nossa produção", diz o comunicado da CMPC.

A região de Concepción concentra oito fábricas de celulose da CMPC e da Arauco que estão situadas num raio de cerca de 400 quilômetros do epicentro do terremoto. Essas fábricas são responsáveis pela produção de 2,7 milhões de toneladas de pasta extraída de pínus e 1,8 milhão de toneladas de eucalipto.

"Mais de 8% da capacidade de produção global de celulose de mercado poderá ser impactada", alertam os analistas do Credit Suisse, em nota distribuída aos clientes. Segundo a instituição, os estoques de celulose nas mãos dos produtores estão três dias abaixo do nível considerado normal (30 dias).

Para especialistas, o preço da celulose no mercado internacional poderá voltar a subir nos próximos meses. "Aparentemente vai faltar produto na China, onde a demanda está muito aquecida e que é o principal mercado dos chilenos", diz uma fonte que acompanha o setor. Essa quebra na oferta deve beneficiar os produtores brasileiros como a Suzano e a Fibria.

Mar 02, 2010 20:50
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Preços da celulose de fibras longa e curta têm nova alta no mercado internacional

Recomendar!Por: Equipe InfoMoney
02/03/10 - 19h17
InfoMoney



SÃO PAULO - De acordo com os índices semanais publicados pela empresa finlandesa Foex, que são utilizados como referência pelos investidores, os preços da celulose de fibras longa e curta mostraram alta na última semana no mercado internacional, seguindo a tendência prevista pelos analistas.

Tonelada de celuose Semana até 2/03/2010 Semana até 23/02/2009 Variação
Fibra longa (Foex NBSK) US$ 855,82 US$ 849,69 +0,72%
Fibra curta (Foex BHKP) US$ 758,21 US$ 756,46 +0,23%




Os analistas destacaram que o mercado de celulose de fibra longa na América do Norte obteve um crescimento de 2% em seu nível de embarques de janeiro frente ao mês anterior, com uma alta de 9,3% na comparação com o primeiro mês de 2009. A demanda, segundo a Foex, foi impactada pelo aumento no nível de embarques de papel produzido sem o uso de madeira e por problemas de produção de celulose em algumas fábricas. Ademais, a instituição ressaltou que a balança entre oferta e demanda do mercado norte-americano segue firme, mesmo sem incentivos fiscais.

O mercado de fibra longa europeu, por sua vez, segue "extremamente apertado" por conta de constantes interrupções na oferta de celulose de algumas produtoras situadas em regiões específicas da Europa e por conta da alta observada na demanda por papel. "A oferta de celulose é mais uma vez afetada pelo terrível terremoto no Chile", avaliaram os analistas.

Na China, a Foex ressalta que as importações da celulose de fibra curta cresceram 19% em janeiro em relação ao mês anterior e 51% na comparação com igual período do ano passado. "A forte demanda para o mercado de celulose está prevista para continuar mesmo depois da pausa do ano novo chinês", avaliou a Foex. Contudo, a instituição destacou que algumas paralisações em determinadas regiões do continente levantam preocupações por parte dos compradores de celulose da gigante asiática.

Aumento segue na próxima semana
A equipe da Link Investimentos avaliou os preços e vê novas altas. "Os preços devem voltar a subir fortemente na próxima semana, quando o novo aumento, de US$ 30 por tonelada, terá mais tempo para ser implementado", destacou.

"O terremoto no Chile também pode afetar o mercado, já que os produtores da região deverão enfrentar problemas para manter a exploração, o que pode trazer uma redução dos estoques nos demais produtores. Continuamos otimistas com o setor!", concluiu.

Mar 16, 2010 15:54
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Preço de celulose aumenta em abril e supera recorde pré-crise
16/03 - 08:52 - André Vieira, iG São Paulo



ImprimirEnviarCorrigirNotícias SMSFale ConoscoA Fibria, maior fabricante mundial de celulose de eucalipto, anunciou um novo aumento no preço da matéria-prima para abril. O reajuste será de US$ 50 por tonelada para todas as regiões.

Com o reajuste, o preço da celulose subirá para US$ 870 por tonelada na América do Norte, US$ 840 na Europa e US$ 800 na Ásia. Analistas esperam que outros produtores também sigam o aumento de preços.

Com o aumento, o quarto neste ano, o preço da celulose no mercado internacional vai superar o pico do período pré-crise de abril de 2008. Nos últimos 12 meses, o preço da celulose aumentou 28% nos EUA, 45% na Europa e 58% na China.

A greve dos produtores da Finlândia e a paralisação das fábricas de celulose do Chile, por causa do terremoto, ajudaram a aumentar os preços. A Fibria é resultado da compra da Aracruz pela Votorantim Celulose e Papel.

Mar 16, 2010 20:29
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Preço da celulose registra mais uma semana de alta na cena internacional

Recomendar!Por: Equipe InfoMoney
16/03/10 - 19h02
InfoMoney



SÃO PAULO - De acordo com os índices semanais publicados pela empresa finlandesa Foex, que são utilizados como referência pelos investidores, os preços da celulose de fibras longa e curta mostraram alta na última semana no mercado internacional, seguindo a tendência prevista pelos analistas.

Tonelada de celuose Semana até 16/03/2010 Semana até 9/03/2009 Variação
Fibra longa (Foex NBSK) US$ 883,80 US$ 875,62 +0,93%
Fibra curta (Foex BHKP) US$ 786,93 US$ 777,11 +1,26%

Os analistas da consultoria destacaram que os impactos de diversas reduções na oferta da matéria-prima continuam a se alastrar ao redor do globo, inclusive no mercado norte-americano de celulose, onde a maioria dos embarques, especialmente de fibra longa, é originada de produtores regionais. Segundo a Foex, o aperto na balança entre oferta e demanda ajudou os produtores a testar preços maiores, com altas em torno dos US$ 30 por tonelada, que haviam sido anunciadas previamente para este mês.

O mercado de fibra longa europeu, por sua vez, segue "extremamente apertado" por conta de constantes interrupções na oferta de celulose de algumas produtoras situadas em regiões específicas da Europa e por conta da alta observada na demanda por papel. "A oferta de celulose é mais uma vez afetada pelo terrível terremoto no Chile".

A Foex destacou também que as greves nos portos finlandeses somam ainda mais ao atual cenário do setor de papel e celulose. "O mercado global de celulose segue apertado em decorrência dos fechamentos de linhas de produção da matéria-prima no Chile e a impossibilidade de retirar a celulose finlandesa para fora daquele país", afirmou a consultoria.

Na China, a Foex ressalta que os volumes da commodity perdidos no terremoto no Chile apertaram especialmente o mercado asiático, parte por conta das vendas chilenas da matéria-prima serem concentradas na Ásia. No mais, os analistas destacam que a reabertura da linha de produção Rizhao está próximo, mas a planta não mostrará produção de celulose da fibra curta antes do final do segundo trimestre deste ano.

Otimismo segue entre analistas
O analista Leonardo Alves, da Link Investimentos, avaliou as altas com otimismo. "Estamos nos aproximando do final do mês de março e os preços da celulose na Europa estão cada vez mais próximos do preço sugerido para este mês, enquanto que na China esse valor já foi superado. Entretanto, a demanda por celulose continua elevada e até o momento não tivemos um aumento da oferta, mas sim uma redução da mesma com o terremoto no Chile", destacou.

Mesmo assim, Alves afirma que segue "otimista com o setor de papel e celulose". "Devemos continuar observando um aumento nos preços da celulose nas próximas semanas", concluiu.

Abr 07, 2010 22:59
FSM Forista Assíduo
Mensagens: 172
[b]Preços da celulose seguem em alta até fim de 2010[/b]
FSM
Registrado em:
Out 21, 2009 12:50
 
 
Preços da celulose seguem em alta até fim de 2010

Reuters | 07/04/2010 17:10

SÃO PAULO (Reuters) - O aumento da demanda mundial de celulose, aliado a um nível de estoques muito baixo e eventos recentes, como o terremoto no Chile e greve nos portos da Finlândia, devem incentivar a continuidade da retomada dos preços da matéria-prima do papel até o final do ano, afirmaram nesta quarta-feira executivos do setor.

A expectativa foi divulgada pelo presidente do conselho de administração da Fibria, José Luciano Penido, e pelo presidente da Suzano Papel e Celulose, Antonio Maciel Neto.

"Sazonalmente, o primeiro trimestre do ano é frio, sobe no segundo trimestre, arrefece no terceiro e fica mais intenso no quarto trimestre. Por isso, surpreendeu o vigor do primeiro trimestre", disse Penido a jornalistas, durante fórum do setor.

Nos quatro primeiros meses de 2010, os preços da celulose foram aumentados em quatro ocasiões. Para a Europa, por exemplo, o preço atual é de 840 dólares a tonelada, patamar registrado antes do início da crise financeira internacional.

Maciel destacou que os estoques de celulose no mundo estão muito baixos. "Durante a crise, os estoques mundiais chegaram a 60 dias e agora estão indo para abaixo de 28 dias."

(Por Carolina Marcondes)

Abr 15, 2010 12:31
Cido Estreante
Mensagens: 98
Cido
Registrado em:
Abr 29, 2009 16:12
 
 
Alguém sabe quando sai balanço do 1ºT/2010?

Mai 10, 2010 15:51
Adriano* Estreante
Mensagens: 61
Adriano*
Registrado em:
Jul 17, 2008 15:29
 
 
Subindo +7% q blzzzz

Mai 17, 2010 8:55
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Fibria vê seu lucro líquido despencar 99% no primeiro trimestre, para R$ 9 milhões

Recomendar!Por: Valter Outeiro da Silveira
17/05/10 - 07h40
InfoMoney



SÃO PAULO - A Fibria (FIBR3) apresentou o resultado do primeiro trimestre deste ano, com lucro líquido de R$ 9 milhões, queda de 99% frente aos ganhos vistos no mesmo período do ano passado.

O Ebitda (geração operacional de caixa) totalizou R$ 637 milhões, avanço de 27% na base anual. Por sua vez, a receita líquida mostrou variação positiva de 17%, ao somar R$ 1,67 bilhão.

Margens, produção e vendas
A margem Ebitda (geração operacional de caixa sobre receita líquida) totalizou 38% nos três primeiros meses, um avanço de 12 pontos percentuais em relação aos 26% vistos em período igual do último ano.

Por último, a produção e vendas de celulose totalizaram 1,314 milhão e 1,322 milhão de toneladas, respectivamente, avanços de 27% e 14% na relação anual, na mesma ordem. Já a produção e a venda de papel somou 77 mil e 83 mil toneladas, baixas de 19% e 12%, nessa ordem, na comparação com o primeiro trimestre de 2009.

Mai 17, 2010 18:55
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Fibria espera ver impactos da crise europeia, mas qualquer previsão seria "especulação"

Recomendar!Por: Equipe InfoMoney
17/05/10 - 16h21
InfoMoney



SÃO PAULO - Impactos poderão surgir, mas não no curto prazo. Durante teleconferência realizada nesta segunda-feira (17), após a divulgação de seus resultados trimestrais, a Fibria (FIBR3) destacou a evolução de seus indicadores operacionais e comentou sobre os efeitos da crise europeia na demanda mundial de celulose.

Segundo João Felipe Carsalade, diretor comercial de logística da empresa, com certeza algum impacto deverá ser visto no setor com a crise da Europa. No entanto, afirma que qualquer previsão a ser feita agora é "muita especulação", descartando qualquer impacto no curto prazo, principalmente por conta do crescimento de demanda registrado nesse começo de ano.

Além disso, Carsalade enfatizou que um possível impacto não deverá ocorrer apenas no segmento de papel e celulose. "Eu não creio que nós vamos ter algum tipo de impacto neste momento. Acho que hoje em dia a questão está muito mais envolvida com o crédito, o que pode impactar a economia como um todo", disse o diretor da companhia.

Indicadores operacionais
Durante os primeiros três meses do ano, o Ebitda (geração operacional de caixa) ficou em R$ 637 milhões, número 27% acima do que foi relatado durante o quarto trimestre de 2009. De acordo com a Fibria, o aumento de 14% no preço médio líquido da celulose em reais, combinado com a redução de 12% no CPV (Custo de Produto Vendido) em relação ao 4T09, contribuiu para a melhor geração de caixa no período.

O diretor de relação com investidores da empresa, André Luiz Gonçalves, indicou também a redução no custo fixo de insumos da empresa, destacando o componente madeira e o componente químico. Segundo Gonçalves, a companhia consegue controlar muito bem a produção de químicos.

A Fibria finalizou a teleconferência lembrando ainda que ela ingressará no segmento Novo Mercado na próxima quinta-feira (20).

Mai 17, 2010 21:35
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Resultado da Fibria é bem recebido por analistas, mas ação ainda reflete cautela

Recomendar!Por: Equipe InfoMoney
17/05/10 - 20h08
InfoMoney



SÃO PAULO - Apesar de o resultado da Fibria (FIBR3) no primeiro trimestre deste ano ter sido bem recebido pelos analistas de mercado, os investidores repercutiram a divulgação do balanço financeiro negativamente nesta segunda-feira (17), fazendo com que o papel fechasse a primeira sessão da semana em forte queda de 5,01%, cotado a R$ 30,15.



O analista Juan G. Tavarez, do Citigroup, avaliou de maneira bastante positiva o resultado. Dentre os pontos de destaque, Tavarez enaltece a margem Ebitda ajustada (relação entre geração operacional de caixa e receita líquida), a qual apresentou-se 100 pontos-base acima das expectativas do banco ao atingir 38%. Além dela, o Ebitda (geração operacional de caixa) também foi destaque, ficando 6% acima do consenso do mercado.

Outro ponto positivo do período, na visão de Tavarez, proveio dos ganhos de sinergia. “A Fibria salientou sua economia de escala e otimização na cadeia de abastecimento, à medida que conquistou mais ganhos (com sinergia) neste trimestre”, disse. O banco recomenda compra das ações, projetando um preço-alvo aos seus ADRs (American Depositary Receipt) de US$ 26,00.



Números surpreendem positivamente...
Por sua vez, a Fator Corretora se mostrou surpreendida com os números apresentados pela produtora de papel e celulose. "O resultado foi bom, acima de nossas estimativas e do consenso do mercado", disseram os analistas Rodrigo Fernandes e Hering Shen. A Fator manteve, "por ora", sua recomendação não atraente aos ativos da Fibria, com preço alvo de R$ 30,10 para dezembro de 2010.



Já o analista Leonardo Alves, da Link Investimentos, avalia que a companhia aproveitou o bom momento do mercado, compensando as vendas abaixo do esperado pela corretora com uma "ótima melhora" no desempenho operacional. "O resultado nos pereceu positivo, com conquista de sinergias entre as operações de VCP e Aracruz, e um bom desempenho operacional que poderá se prolongar ao longo de 2010. A Fibria também se mantém bastante otimista para o futuro a médio prazo do mercado de celulose", destacou o analista.

...mas, receitas caem
Mesmo otimistas, a Link Investimentos destacou a queda nas receitas da Fibria nos três primeiros meses deste ano, que chamou atenção para o lado negativo. Entre janeiro e março, as receitas da companhia caíram 1% ante o valor apurado no último quarto do ano passado. Esse movimento deveu-se à queda do volume vendido tato de papel quanto de celulose, que não compensaram o aumento nos preços.

"Esperávamos volumes de vendas maiores, o que fez com que nossas receitas projetadas ficassem bastante distantes das realizadas no trimestre. Para o segundo trimestre deste ano é esperado um crescimento ainda maior das receitas já que os preços da celulose não param de subir desde o começo do ano", disse Alves.

Endividamento também traz cautela
Outro ponto negativo permanece sendo o elevado nível de endividamento da empresa. "A dívida líquida da Fibria continua bastante alta, em R$ 10,9 bilhões, com um aumento de R$ 163 milhões neste trimestre. Apesar do aumento, a direção da empresa se mostra bastante preocupada com este fator, procurando baratear e alongar suas dívidas", destacou a Link Investimentos.



Perspectivas e recomendações
As perspectivas positivas ao setor de papel e celulose, impulsionadas pelas projeções de continuidade da alta no preço dessas commodities, seguem influenciando os olhares favoráveis ao desempenho futuro da Fribria. O analista Leonardo Alves destaca que a Link Investimentos segue bastante otimista com o setor e acredita que a recente estabilização da moeda nacional trará bons frutos, uma vez que os preços da celulose não param de subir tanto na Europa como na China.

"Como grande ponto positivo, continua a grande vantagem competitiva das empresas brasileiras, que continuarão sobrevivendo não importando o cenário, já que tem as melhores fábricas do mundo, com o menor custo de produção", destacou Alves. A Link possui recomendação underperform - desempenho abaixo da média do mercado - aos papéis da Fibria, "com uma grande preocupação no alto endividamento e a recente oscilação do mercado".

Já a Fator Corretora possui perspectiva de que os estoques de celulose mostrarão uma tendência ainda de baixa em função da retomada gradual dos produtores no Chile e as paradas programadas para manutenção no segundo trimestre deste ano, que deverão impactar a oferta de celulose. "O efeito do aumento de US$ 50 por tonelada para abril e maio deve ser capturado no resultado do 2T10 e as margens operacionais da empresa apresentarão novo incremento", completou a corretora.

Mai 18, 2010 21:24
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Com mercado aquecido, preços da celulose mantém alta no front internacional

Recomendar!Por: Equipe InfoMoney
18/05/10 - 18h14
InfoMoney



SÃO PAULO - De acordo com os índices semanais publicados pela empresa finlandesa Foex, que são utilizados como referência pelos investidores, os preços da celulose de fibras longa e curta mantiveram-se em alta semana passada, enquanto que o mercado segue apertado. As perspectivas dos analistas permanecem positivas para as produtoras brasileiras.

Tonelada de celuose Semana até 18/05/2010 Semana até 11/05/2009 Variação
Fibra longa (Foex NBSK) US$ 952,61 US$ 944,64 +0,84%
Fibra curta (Foex BHKP) US$ 881,51 US$ 865,81 +1,81%

Os analistas da consultoria destacaram que o mercado de celulose de fibra longa norte-americano segue apertado e com baixos níveis de estoque, mesmo com a melhora observada recentemente nos embarques para a região. De acordo com a Foex, a reabertura gradual de produtoras de celulose está incrementando os volumes da commodity produzidos nos Estados Unidos. Além disso, os analistas destacam que o período de baixa ao setor (por conta da primavera) já atingiu seu pico, o que também contribui para algum aumento na produção da celulose de fibra longa no país.

No mercado de fibra longa europeu, por sua vez, os estoques desse tipo de celulose nos portos mostraram um declínio de 185 mil toneladas em abril, caindo para 673,5 mil toneladas. Este foi o menor nível já registrado nos estoques da celulose de fibra longa nos portos europeus da história. De acordo com a Foex, esse patamar foi alcançado a despeito da maior demanda por papel e do aumento na produção de celulose na região. Além disso, a desvalorização do euro também elevou o impacto das altas nos preços da celulose para os compradores do Velho Continente.

Na Ásia, o volume de celulose de fibra curta importado pela China foi "claramente" menor no início de 2010 em relação ao ano anterior. Segundo a Foex, isso ocorreu mesmo com o grande aumento na produção de papel e no consumo interno do país. "As razões para este comportamento errôneo são muitas", destacaram os analistas, citando como exemplo o aumento na produção da celulose sem o uso de madeira como matéria-prima, entre outros.

Demanda maior que oferta
O analista Leonardo Alves, da Link Investimentos, avaliou o desempenho dos preços e demonstrou otimismo. "Com esse aumento, os preços continuam em patamares recordes tanto na Europa quanto na China, o que nos mostra que o mercado de celulose continua bastante aquecido, com uma demanda muito forte e uma oferta que não consegue acompanhá-la", disse.

O cenário para o setor, segundo o analista, continua beneficiando as produtoras brasileiras. "Para as próximas semanas ainda não temos nenhum anúncio de aumento no preço da celulose de fibra curta (produzida pelas brasileiras). Entretanto, com a contínua redução do estoque de celulose, podemos esperar novos reajustes nos preços. Reiteramos nosso otimismo com o setor", concluiu Alves.

Mai 20, 2010 17:08
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Fibria adere ao Novo Mercado e CEO destaca bom momento para a companhia

Recomendar!Por: Tabata Pitol Peres
20/05/10 - 15h22
InfoMoney



SÃO PAULO - O pregão desta quinta-feira (20) começou com a cerimônia de adesão da Fibria Celulose S.A. (FIBR3) ao Novo Mercado da BM&F Bovespa.

Durante o evento, em entrevista à InfoMoney TV, o CEO (Chief Executive Officer) e diretor de Relações com Investidores e de Tesouraria da empresa, Carlos Aguiar, falou sobre a importância da empresa integrar o Novo Mercado, a volatilidade da bolsa brasileira e afirmou que, embora grande parte da produção da companhia seja exportada para regiões com situações financeiras problemáticas, a Fibria terá um 2010 positivo. Confira.

Mai 21, 2010 8:32
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Com expansão do setor de celulose, Link eleva recomendação para Fibria

Recomendar!Por: Equipe InfoMoney
21/05/10 - 06h55
InfoMoney



SÃO PAULO - A Link Investimentos alterou a recomendação para Fibria (FIBR3) de underperform para market perform, após analisar o crescimento do mercado de celulose e os bons resultados trimestrais divulgados pela empresa, além do desempenho recente das ações.

A corretora destaca que, apenas no segundo trimestre de 2010, foram anunciados aumentos de mais de US$ 100 no preço da tonelada da celulose, uma ótima performance de mercado. Nos resultados trimestrais da Fibria, o analista Leonardo Alves viu um bom desempenho operacional, que contribui para a perspectiva de resultados e de geração de caixa para o futuro, principalmente com a redução dos custos de produção.

Como contraponto, a valorização do real é bastante prejudicial à companhia. Além disso, o endividamento pela aquisição da Aracruz Celulose e problemas com derivativos no final do ano passado, impedem a empresa de tornar-se consolidadora em seu setor de atuação. "E relação a uma possível necessidade de caixa, a companhia não trabalha com essa possibilidade, e também não vemos que será necessária nem uma oferta de ações nem a venda de ativos de papel, mas esta segunda hipótese ainda poderá acontecer", coloca Alves.

A corretora utilizou um WACC (Weighted Average Cost Of Capital) de 10,46% no valuation da Fibria e estabeleceu o preço-alvo de R$ 43,00 para o final de 2010, com um upside de 52,5%, similar ao projetado pela Link para o Ibovespa (46,07% até os 85.000 pontos estimados), com base nas cotações desta quinta-feira (19).

AnteriorPróximo

Voltar para Ações Ibovespa

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante