Bem-vindo: Abr 19, 2018 17:34

Jul 26, 2010 14:25
Urubuservador Trade Forista Assíduo
Mensagens: 640
Fibria - FIBR3
Urubuservador Trade
Registrado em:
Fev 06, 2010 10:24
 
 
Estou tomando uma invertida desse papel desde Abril, só fazendo PM. O meu ainda é 29,74. Chegou a 24 e não comprei mais. Se abaixar compro mais, subiu muito atualmente

Jul 26, 2010 14:33
ARNALDO WIL Forista Assíduo
Mensagens: 1219
fibr3
Avatar do usuário
Registrado em:
Nov 29, 2009 11:36
 
 
Boa tarde,

Pessoal, agora vejo a fibr3 , tomando um rumo de alta, ja 3 corretoras indicando o papel : itau, santander e bolsa investa ( corretora spinelli ) entre outras, agora vamos

Jul 27, 2010 12:15
Alemão Forista Assíduo
Mensagens: 232
Realização!!
Avatar do usuário
Registrado em:
Ago 17, 2009 23:02
 
 
O dia está com cara de realização.
Eu, por via das dúvidas já realizei as minhas ações, lucro bom é lucro no bolso.
Boa sorte pra quem ficar!
Forte abraço

Jul 28, 2010 22:40
Alemão Forista Assíduo
Mensagens: 232
Analistas de araque!!!!
Avatar do usuário
Registrado em:
Ago 17, 2009 23:02
 
 
Maiores baixa do dia:

Código Último
(R$) Var.Dia
(%) Volume
(R$) Negócios
(N.º) Hora
TNLP3 35,20 -15,99 94,06M 4.163 17:11
TNLP4 27,17 -11,21 332,70M 11.389 17:11
TMAR5 48,01 -8,55 22,63M 732 17:08
PCAR5 60,35 -5,48 94,12M 3.579 17:08
FIBR3 28,04 -3,31 78,20M 5.042 17:08

É Frajja nesses tempos os analistas não estão fazendo nem pra janta; Vão falar tanta bobeira lá longe, fala sério!


$Fra$jo$la$ escreveu:Corretora eleva recomendação para ações da Fibria para "market perform"

26/07/10 - 13h10
InfoMoney

SÃO PAULO - Citando uma possível venda de ativos fora do núcleo do segmento de papel da Fibria (FIBR3) e a expectativa de que uma correção nas ações, após a alta recente, seria limitada, os analistas da Itaú Corretora elevaram a recomendação da empresa para market-perform (expectativa de que a ação tenha um desempenho em linha com o do mercado), com preço-justo de R$ 37 - upside de 31,7% frente o fechamento de 23 de julho.

Apesar do recente rali na cotação das ações e dos resultados "pouco inspiradores" esperados para o segundo trimestre, Marcos Assumpção e Alexandre Miguel, que assinam o relatório, acreditam que caso as ações passem por uma correção, esta deve ser limitada.

Venda de ativos de papel
Para Assumpção e Miguel, a possível venda de ativos do segmento de papel seria positiva, uma vez que reduziria o risco financeiro da empresa, além de acelerar os planos de crescimento do negócio de celulose.

"Estimamos que os ativos de papel estão avaliados em US$ 1,2 bilhão", projetam os analistas, que afirmam que se a empresa for bem sucedida nesta possível venda (especulada pelo mercado), a relação entre dívida líquida e Ebitda (geração operacional de caixa) em 2010 pode ser reduzida de 3,3 vezes para 2,7 vezes.

Cenário mais fraco já está precificado
Outro driver importante é que as ações da Fibria já precificam uma queda de US$ 80 por tonelada no preço da celulose, segundo estimam os analistas.
http://web.infomoney.com.br//templates/ ... stimentos/

Jul 29, 2010 8:59
Paduano Forista Assíduo
Mensagens: 132
Paduano
Registrado em:
Set 08, 2009 17:56
 
 
Colegas....,

Qual anáise de vocês para uma possivel entrada no papel hoje

Jul 29, 2010 13:26
Apacche Estreante
Mensagens: 54
Avatar do usuário
Registrado em:
Out 25, 2007 17:17
 
 
Fui 'stopado' ontem em 28,56, pois vinha subindo stops desde a compra. Acredito que foi uma realização natural, visto que subiu mais de 15% em 12 dias. Tem alguma notícia negativa como 'pano de fundo'?

Se confirmar a LTA, volto a comprar por volta de 29,30 (acima da máxima nestes 12 dias), que confirma a trajetória de alta, e 'bate' a MM 65 dias (hoje, está em 28,97).

Sei que sou iniciante no fórum, e nos 'traders', mas não custa comentar: o que coloco acima sou minhas opiniões para fomentar o debate entre os comprados e potenciais, e não indicações, que devem seguir uma análise prévia do comprador.

Bons traders!

Jul 29, 2010 14:09
Alemão Forista Assíduo
Mensagens: 232
Está testando o suporte!
Avatar do usuário
Registrado em:
Ago 17, 2009 23:02
 
 
O primeiro suporte é a mm8 = 27,68, QUE NO CASO ESTÁ SENDO TESTADO AGORA!
Valeu

Jul 29, 2010 14:15
Paduano Forista Assíduo
Mensagens: 132
Paduano
Registrado em:
Set 08, 2009 17:56
 
 
Penso que não fui feliz, entre em 28,00,
vamo que vamo :roll:

Jul 30, 2010 21:31
Alemão Forista Assíduo
Mensagens: 232
Informações Importantes
Avatar do usuário
Registrado em:
Ago 17, 2009 23:02
 
 
Fibria: após reajuste nos preços, JPMorgan prefere "evitar a compra" das ações

Recomendar!Por: Thiago C. S. Salomão
29/07/10 - 17h48
InfoMoney



SÃO PAULO - A redução em 5% - ou US$ 50 por tonelada - nos preços da celulose vendida pela Fibria (FIBR3), que entrará em vigor a partir do dia 1 de agosto, veio em linha com o esperado pela equipe do JPMorgan. Esperando novos reajustes nos próximos meses, o banco optou por manter a recomendação "underweight" (performance abaixo da média das outras empresas presentes no universo de cobertura do banco para os próximos 12 meses) para os ativos FIBR3.

A analista Debbie Bobovnikova diz que "prefere evitar a compra" de ações de empresas muito expostas à commodity, assim como a Fibria, que também conta com um valuation não muito atraente. Além disso, a sugestão poderia ser melhor caso o ciclo de correções no preço estivesse próximo do fim, "mas atualmente ele está no começo". Segundo relatório assinado por Debbie, essa foi a primeira reversão oficial vista no ciclo de alta dos preços da celulose no mercado internacional, que teve início em junho de 2009.

De lá pra cá, as cotações subiram entre US$ 385 e US$ 455. Os novos preços de agosto ainda estarão acima dos picos em 2008, além de também estarem em torno de 50% mais altos do que a média vista nos últimos 10 anos, ressalta a analista.

Novas quedas podem chegar a 20%, diz JP
A analista do banco norte-americano prevê novos reajustes para os próximos meses, que poderão totalizar uma queda em torno de 20%. Segundo Debbie, embora as novas retrações devam trazer os preços da celulose a níveis mais razoáveis, eles ainda estarão "estruturalmente bullish" (em tendência de alta).

"Acreditamos que uma curva acentuada nos custos globais e um crescimento na demanda estrutural na China deverão permitir que os preços da celulose se estabilizem em patamares cerca de 20% acima da média dos últimos 10 anos", acredita a especialista do JP.

O relatório do banco ainda traz um levantamento dos ciclos de alta e de baixa nos preços da celulose no mercado internacional nos últimos 30 anos. Nesse período, a analista mostra que um ciclo de queda nos preços tem durado em média 17 meses e provocado uma retração de 28% nos preços. A última trajetória negativa durou 9 meses e teve fim em abril de 2009, resultando em uma retração dos preços dentro da média apontada pelo JP.
Infomoney

Jul 30, 2010 21:34
Alemão Forista Assíduo
Mensagens: 232
Para segunda!
Avatar do usuário
Registrado em:
Ago 17, 2009 23:02
 
 
segunda feira é sugestão de entradas no rompimento dos 27,80. Objetivo de alta 29,00. Stop na perda dos 26,75.
Equipe técnica da ativa!

Ago 12, 2010 0:04
Alemão Forista Assíduo
Mensagens: 232
É baixa!!!
Avatar do usuário
Registrado em:
Ago 17, 2009 23:02
 
 
Gente como sangra essa ação.
Haja coração!!!

Ago 15, 2010 23:12
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Lucro líquido da Fibria cai 86% no segundo trimestre e atinge R$ 130 milhões

Recomendar!
Por: Anderson Figo
13/08/10 - 20h35
InfoMoney


SÃO PAULO - Com queda de 86% no lucro líquido, a Fibria (FIBR3) divulgou nesta sexta-feira (13) seus resultados do segundo trimestre deste ano. Os ganhos da companhia chegaram a R$ 130 milhões entre abril e junho frente aos R$ 920 milhões apurados um ano antes.

Apesar da oscilação negativa na comparação anual, a companhia apresentou forte alta de 1.341% no lucro líquido do segundo quarto deste ano em relação aos R$ 9 milhões registrados nos três primeiros meses de 2010.

No mesmo sentido, a receita líquida da produtora de celulose atingiu R$ 1,8 bilhão no segundo trimestre do ano, o que configura um aumento de 23% frente ao apurado em igual período do ano passado. Frente a cifra de R$ 1,6 bilhão de receita atingida pela companhia nos três primeiros meses deste ano, houve incremento de 8%.

"A dinâmica positiva do setor de celulose permitiu que as vendas de 1.253 mil toneladas fossem superiores à produção no período. A redução das vendas em 5% e 7% com relação ao 1T10 e 2T09, respectivamente, foi explicada exclusivamente pela menor disponibilidade de produção", avaliou a companhia em nota.

Com variação positiva mais expressiva, o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) da Fibria cresceu 87% na comparação anual, totalizando R$ 730 milhões. Frente ao primeiro trimestre, a geração operacional de caixa da empresa atingiu crescimento de 15%.

Desempenho semestral
A companhia também revelou seu balanço do primeiro semestre deste ano. Entre janeiro e junho, a Fibria obteve lucro líquido de R$ 139 milhões, receita líquida de R$ 3,48 bilhões e Ebitda de R$ 1,37 bilhão. Os montantes correspondem a uma baixa de 94%, e altas de 20% e 78%, respectivamente.

Ago 18, 2010 13:59
Alemão Forista Assíduo
Mensagens: 232
Fibria ainda preocupa analistas!!!
Avatar do usuário
Registrado em:
Ago 17, 2009 23:02
 
 
Fibria ainda preocupa analistas, que preferem Suzano no setor de celulose

Recomendar!Por: Anderson Figo
18/08/10 - 11h06
InfoMoney



SÃO PAULO - Após mostrarem uma forte recuperação no início do ano, os preços da celulose de fibras longa e curta deram início nas últimas semanas a uma tendência de queda, que, na visão de analistas, deve permanecer apenas no curto prazo. Mas, em meio à nova dinâmica do setor, marcada pela retomada da oferta e menor demanda chinesa, os papéis das produtoras brasileiras têm sofrido oscilações constantes.

Com desempenho descolado de seus pares no lado negativo, as ações da Fibria (FIBR3) acumulam em 2010 uma expressiva queda de 24,97%, cotadas a R$ 29,33 cada, com base no fechamento da última terça-feira (17). Em sentido oposto, a Suzano (SUZB5) vê seus ativos preferenciais classe A somarem leve alta de 1,62% desde janeiro. Já a Klabin (KLBN4) mostra uma variação negativa em suas ações de 6,08% desde o início deste ano.

Fatores como o alto endividamento e a verticalização das operações da Fibria seguem pressionando as cotações das ações da empresa, fazendo com que a preferência do mercado, em geral, recaia sobre os ativos da Suzano no setor. Para o analista Leonardo Zanfelicio, da Concórdia Corretora, um dos principais vetores desse movimento de baixa no ano auferido pelas ações da Fibria é a alavancagem financeira da companhia.

"Quando a VCP comprou a Aracruz, a dívida da empresa resultante (Fibria) ficou bem alta", disse Zanfelicio. "No momento de estresse, como o que vimos na semana passada, com os mercados registrando volatilidade, a empresa que tem a maior dívida acaba sofrendo mais", completou o analista.

De acordo com os últimos resultados financeiros divulgados pela produtora de celulose, a dívida bruta da Fibria atingiu R$ 13,209 bilhões ao final de junho deste ano - um volume considerado bastante elevado pelos analistas. Já a Suzano detinha uma dívida bruta de R$ 6,285 bilhões ao final do segundo trimestre, o que representa um volume inferior à metade daquele visto pela Fibria.

"A situação da alavancagem financeira da Suzano é muito melhor que a da Fibria. (...) A chance de a Fibria não arcar dívidas com seus credores é muito maior em caso de outra crise", avaliou Zanfelicio. O analista da Concórdia lembrou ainda que o desempenho negativo do Ibovespa em 2010 (-1,46%, com base no fechamento de 17 de agosto) também influencia na queda dos papéis da Fibria.

Verticalização das operações
Na visão do analista Victor Luiz de Figueiredo Martins, da Planner Corretora, tanto o momento positivo ao setor como a vertizalização das operações da empresa influenciam a performance dos papéis da companhia. "O que ameniza essa situação da alavancagem financeira maior da Fibria é esse momento favorável à celulose, que permite a companhia gerar recursos maiores para poder amortizar de uma forma mais rápida a sua alavancagem, que é o que está acontecendo", disse.

Para Martins, o fato de a empresa ter grande parte de suas operações focada na produção de celulose também pode trazer risco à performance das ações. "A Fibria é mais focada em celulose, inclusive os ativos de papel ainda remanescentes ela já demonstrou a intenção de vender. As outras (Suzano e Klabin) têm a questão do papel também que, na venda para o mercado interno, oferece uma estabilidade maior. É como se fosse um hedge", afirmou o analista da Planner.

De acordo com Martins, as operações da Suzano com o segmento de papel - embora a empresa também tenha o foco em produção de celulose - garantem à companhia uma espécie de válvula de escape no caso de uma mudança no cenário para o segmento de celulose. "Não é o caso neste momento porque o ciclo é de alta, mas quando começar um ciclo de baixa, quem só tiver celulose para vender vai ter um reflexo diretamente em seus resultados. Ao passo que, se você tem também a venda de papel e também é forte no mercado interno, você tem um colchão que pode amortecer essas oscilações nas commodities. Então a questão da verticalização também explica um pouco essa diferença nas cotações das ações", completou o analista.

Recomendações
Enquanto as ações podem sofrer no curto prazo com a perspectivas de novas quedas para o preço da celulose, os analistas seguem confiantes de que as operações das produtoras brasileiras seguirão fortes até pelo menos o próximo ano. "Nós somos especialistas na produção de celulose de fibra curta. Nós temos um investimento tecnológico na formação de excelentes matrizes e plantas que oferecem crescimento muito mais rápido. Isso garante uma vantagem comparativa muito boa em relação aos demais players", disse Martins.

O analista Leonardo Alves, da Link Corretora, destacou que, mesmo em queda, os novos patamares dos preços da celulose não chegam a preocupar. "Continuamos acreditando que o preço da celulose de fibra curta não deve ficar abaixo de US$ 800,00 por tonelada, um patamar bastante positivo para as empresas de baixo custo, que é o caso das brasileiras", afirmou o analista.

A corretora manteve seu rating outperform (desempenho acima da média do mercado) para os papéis da Suzano - a top pick no setor -, bem como a recomendação market perform (desempenho em linha com o mercado) para Fibria e Klabin.


Imprimir
Enviar por e-mail
Avaliar


Comentar a Notícia
Comentar no Fórum

Ago 26, 2010 8:26
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Contrariando queda nos preços, Morgan Stanley projeta alta da celulose

Recomendar!
Por: Equipe InfoMoney
25/08/10 - 18h07
InfoMoney


SÃO PAULO - Apesar da recente queda nas cotações, analistas do Morgan Stanley projetam a manutenção dos altos patamares dos preços de celulose, em um mercado que segue apertado.

"Acreditamos que nosso cenário otimista de preços estáveis da celulose é cada vez mais provável, em vista do recente anúncio da Arauco de estabilização dos preços para os consumidores chineses em setembro e a evidências de que os traders chineses estão voltando ao mercado para repor seus estoques", explicam os analistas do banco norte-americano responsáveis pelo relatório, Carlos de Alba e Bruno Montanari.

Eles destacam o baixo nível das reservas globais de celulose, cerca de 10% aquém de sua média histórica, e a diminuição das remessas internacionais de celulose durante julho, que recuaram 5,6% em comparação com junho, mês de forte desempenho.

Empresas
Dentro do mercado brasileiro, a Fibria (FIBR3) é a empresa que mais chama a atenção dos analistas, que a colocam como top pick setorial. Alba e Montari afirmam que a queda das ações é exagerada, deixando a relação risco/recompensa atrativa uma vez que o cenário mais otimista parece cada mais provável.

Eles projetam um preço-alvo para o fim de 2011 de US$ 22,5 para os ADRs (American Depositary Receipt) da companhia, incorporando a visão de que os preços da celulose se mantenham em patamares elevados nos próximos meses. O upside é de 46,1% em relação ao fechamento desta quarta-feira (25), e os ADRs têm recomendação overweight (desempenho acima da média do mercado).

As ações da Suzano (SUZB5), por sua vez, recebem recomendação equal-weight (desempenho em linha com o mercado) e preço-alvo para o fim de 2011 de R$ 19,80, representando um potencial de valorização de 27,08% em relação ao último fechamento. "No nosso cenário base, usamos o critério de soma das partes baseada nos múltiplos da nossa estimativa para o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de 2012, de R$ 1,55 bilhão", explicam, por fim, os analistas.

Out 19, 2010 18:34
Zuk Forista Assíduo
Mensagens: 559
Zuk
Registrado em:
Fev 28, 2008 8:25
 
 
Fibria fecha acordo de US$ 5 bilhões para transporte de celulose
Empresa coreana irá transportar matéria-prima para produção de papel pelos próximos 25 anos

André Vieira, iG São Paulo | 19/10/2010 01:49 - Atualizada às 16:55


A Fibria, fabricante de celulose brasileira, fechou um acordo de US$ 5 bilhões (aproximadamente R$ 8,3 bilhões) com a empresa coreana STX Pan Ocean para o transporte marítimo de celulose para os próximos 25 anos a partir de 2012. Trata-se do maior contrato assinado por uma empresa brasileira do ramo de celulose e papel. Para o acordo com a Fibria, a empresa coreana deve encomendar 20 novos navios-cargueiros, avaliados em US$ 1 bilhão.



Eucaliptos da Fibria: contrato de longo prazo para transporte de celulose

O acordo de longo prazo, assinado nesta segunda-feira em São Paulo, foi anunciado pela empresa com sede em Seul nesta madrugada de terça-feira. Segundo a empresa coreana, foi assinado pelo presidente da Fibria, Carlos Aguiar, e o presidente da STX, S.R. Bae.

Em comunicado divulgado às 16h53, a Fibria confirmou o acordo. "A transação tem como objetivo prezar pela estabilidade operacional, previsibilidade e competitividade de custos, configurando um importante instrumento para a consolidação da estratégia comercial de longo prazo da Fibria e reforça a nossa capacidade de geração de valor ao acionista", diz a nota.

A fabricante brasileira, controlada pelo grupo Votorantim, tornou-se a maior produtora de celulose de eucalipto ao juntar as operações da VCP com a Aracruz Celulose. A empresa produz quase 6 milhões de toneladas da commodity, usada para a produção da papel.

O acordo prevê o transporte da matéria-prima para todos os mercados onde a Fibria atua - Estados Unidos, Europa e Ásia - e substituirá os atuais contratos que a fabricante mantém com outras empresas de transporte marítimo.

A Ásia tem sido um dos destinos crescentes da celulose da Fibria na medida em que principalmente a China possui o maior parque fabril de produção de papel do mundo.

Estreia da STX na celulose

A parceria marca o início das operações da STX no setor de transporte de celulose, tomando o espaço de tradicionais companhias europeias. A STX é especialista no transporte de aço.

No mês passado, fechou um contrato com a siderúrgica Posco avaliado em US$ 430 milhões para o transporte de carvão metalúrgico e minério de ferro por 20 anos. A empresa possui 83 embarcações próprias e outras 365 fretadas. A STX faturou US$ 3,6 bilhões em 2009.

Out 21, 2010 12:35
WILDMOUNTAIN Forista Assíduo
Mensagens: 157
WILDMOUNTAIN
Registrado em:
Out 16, 2009 14:16
 
 
ALGUM MOTIVO PARA A DISPARADA DE FIBR3?

Out 21, 2010 12:58
WILDMOUNTAIN Forista Assíduo
Mensagens: 157
WILDMOUNTAIN
Registrado em:
Out 16, 2009 14:16
 
 
Ações da Fibria disparam, após dados supreendentes sobre mercado de celulose

Recomendar!
Por: Equipe InfoMoney
21/10/10 - 12h53
InfoMoney


SÃO PAULO - Os ativos da Fibria (FIBR3) se destacam no pregão desta quinta-feira (21), liderando os ganhos do Ibovespa após números surpreendentemente positivos sobre o mercado de celulose mundial.

Há pouco, os ativos da companhia disparavam 5,29%, sendo cotados a R$ 28,24. Simultaneamente, o principal benchmark da Bolsa de Valores de São Paulo ascendia modesto 0,61%.

Setor surpreende
Consultado pela InfoMoney, o setor de Relacionamento com Investidores da companhia informou que a alta pode, em parte, ser atribuída aos dados positivos divulgados pelo PPPC (Conselho de Produtos de Celulose e Papel, na sigla em inglês), os quais dão conta de que o volume estocado globalmente de celulose recuou para 2 dias.

Ainda de acordo com a companhia, o recuo contraria as projeções de alta dos analistas e indicam que o mercado de celulose pode estar mais aquecido do que estima-se, animando os investidores nesta tarde.

Out 21, 2010 13:07
LORO Forista VIP
Mensagens: 2455
Avatar do usuário
Registrado em:
Out 30, 2009 16:48
 
 
É incrivel como aparece essas noticias depois da açao ter despencado ate o fundao ,foi onte ou terça que falaram que a fibra de celulose estava depreciada no mercado olha hoje , em dois dias a noticia ja virou e froid mesmo

Dez 02, 2010 9:56
Alemão Forista Assíduo
Mensagens: 232
Recuperacao!!!
Avatar do usuário
Registrado em:
Ago 17, 2009 23:02
 
 
Essa acao e boa nisso, hein! Vamos que vamos!

Dez 03, 2010 17:23
Alemão Forista Assíduo
Mensagens: 232
e segue arrancando!!!
Avatar do usuário
Registrado em:
Ago 17, 2009 23:02
 
 
Dispara acao , dispara ...

AnteriorPróximo

Voltar para Ações Ibovespa

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Google [Bot] e 6 visitantes