Bem-vindo: Dez 18, 2017 2:58

Dez 26, 2008 21:48
Tilt Geral Estreante
Mensagens: 98
Fertilizantes Heringer - FHER3
Tilt Geral
Registrado em:
Out 14, 2008 2:43
 
 
EStive estudando um pouco a Fher3, e percebi que tá uma boa para compra.
Teve a mínima de 3,05, com P/VPA atual de em 0,3 (barata).
Seu lado negativo é que no 3T08 teve prejuízo contábil com variação cambial,
mas mesmo assim o acumulado até set/08 foi de lucro líquido.

Suas demonstrações contábeis são boas e demonstram solidez.

Está no ramo de fertilizantes, que é um ramo obviamente sempre necessário para a
economia (plantar sempre é necessário), mas tem suas oscilações para baixo se houve muita quebra de agricultores.

Suas matérias-primas na maioria são importadas, mas como o mercado de fertilizantes é oligopolizado, dá para repassar o custo da variação cambial para o comprador, através do aumento do prazos de recebimento.

O site abaixo dá excelente análise para esse papel, destacando o preço justo
de R$19,93 e ótima análise de risco.




http://www.sferastockanalysis.com/br/ar ... lect=ativo
FHER3
Último R$ 3.60
Variação -0.28%
Mínimo 3.59
Máximo 3.68

VALUATION
Valor Patrimonial R$ 12.02
Lucro/Ação R$ 2.92
PL anual x 1.2
ROE anual % 24.3%
WACC anual % 14.7%
Preço Justo R$ 19.93
Potencial % 453.7%


ANÁLISE DE RISCO
Beta 0.95
Retorno Esperado Mensal 1.5%
Retorno Esperado Anual 19.7%
Volatilidade Esperada Mensal 14.6%
Volatilidade Esperada Anual 50.6%
Value at Risk prob. = 16% -0.1%
Preço Pior Cenário - Bearish R$ 4.02
Preço Melhor Cenário - Bullish R$ 5.38
Preço Alvo 31/12/2009 5.57
Preço Alvo em 12 meses R$ 5.54
Análise no Mês Abaixo
Índice de Sharpe 0.10
Índice de Jensen 0.53
Índice de Treynor 1.58
Appraisal Ratio 0.04

Dez 27, 2008 9:37
Renatao Forista VIP
Mensagens: 4127
Avatar do usuário
Registrado em:
Jan 16, 2008 13:49
 
 
Realmente, pela AF esta num ponto interessante.

Buy & Hold, ta na escuta? O que vc acha desse papel para LP?

Dez 27, 2008 10:27
que venha 2009 Forista Assíduo
Mensagens: 1060
que venha 2009
Registrado em:
Dez 11, 2008 23:31
 
 
Estou de olho nela, já faz alguma tempo.

acho que pode ser uma boa oportunidade, acredito que tem um grande potencial de valoriação.

Acho que em torno de R4 3,40 é um exclente preço para entrar.


Mas mais seguro seria esperar o proximo balanço dela, pois deve vir coisa ruim por aí.

O problema é que o balanço ainda demora quese uns 2 meses, e até lá o papel pode subir muito. e aí se não entrar agora perdemos o bonde da suba.
é o risco normal da bolsa, cada um deve analisar e decidir se quer assumir esse risco.

Resumindo, acho que é um papel para comprar perto de R$ 3,40 e esperar uma suba que deve vir no CP, e sair fora quando estiver com um bom lucro. Acho bom sair fora antes do balanço, pois como já disse os resultados não devem ser bons.


é minha analise desse papel, espero ter ajudado


Abraços e vamos acompanhar!

Dez 27, 2008 10:32
Shield Forista Assíduo
Mensagens: 1182
Avatar do usuário
Registrado em:
Nov 02, 2007 10:39
 
 
Teve um prejuízo de -72.261.000, considerável no último trimestre.

Notas do balanço:

Lucro líquido impactado por despesa financeira sem efeito caixa no curto prazo decorrente da desvalorização do real. O resultado líquido do trimestre ficou negativo em R$ 72,3 milhões, em função da variação cambial do período, que gera despesa financeira sem efeito caixa no curto prazo. Nos 9M08 o lucro líquido recuou para R$ 24,7 milhões ante R$ 46,3 milhões dos 9M07.

(Resumindo o mercado não gostou)


Mesmo tendo um poder de lucro de 34.99% bem superior a selic de 13%, em função da retração da economia mundial merece uma atenção especial.

Devemos sempre lembrar que no momento atual, o mercado está totalmente avesso ao risco.

É isso aí.

Dez 27, 2008 19:07
Tilt Geral Estreante
Mensagens: 98
Tilt Geral
Registrado em:
Out 14, 2008 2:43
 
 
Concordo que é razoável pensar que os resultados do 4T08 podem não ser bons.

Mas baixei uns releases do site da empresa (heringer) , que mostram que historicamente a maior lucratividade ocorre no último trimestre dos anos, por causa do maior volume de vendas dos produtos (fertilizantes) ocasionado por demandas dos produtores para próxima safra.

Por isso, imagino que o lucro líquido do 3T08 será aumentado por mais um lucro do 4T08, aumentando inclusive o VPA da empresa em 31/12/08, contribuindo para um aumento do valor da ação - isso se o mercado olhar para essa empresa e quiser comprar suas ações.

Dez 28, 2008 10:30
Yankee
Yankee
 
 
Shield escreveu:Teve um prejuízo de -72.261.000, considerável no último trimestre.

Notas do balanço:

Lucro líquido impactado por despesa financeira sem efeito caixa no curto prazo decorrente da desvalorização do real. O resultado líquido do trimestre ficou negativo em R$ 72,3 milhões, em função da variação cambial do período, que gera despesa financeira sem efeito caixa no curto prazo. Nos 9M08 o lucro líquido recuou para R$ 24,7 milhões ante R$ 46,3 milhões dos 9M07.

(Resumindo o mercado não gostou)


Mesmo tendo um poder de lucro de 34.99% bem superior a selic de 13%, em função da retração da economia mundial merece uma atenção especial.

Devemos sempre lembrar que no momento atual, o mercado está totalmente avesso ao risco.

É isso aí.


O prejuízo teria sido consequência de alguma exposição em hedges? A legislação brasileira não obriga que os balancetes sejam auditados. Decididamente é arriscado comprar ações de empresas potencialmente expostas a riscos cambiais, leia-se: empresas com volume considerável de receitas vinculadas à exportação ou importação; e, portanto, vítimas potenciais desses hedges.

No aspecto gráfico, me parece que não está em ponto de compra, veja que o preço está abaixo da MM e que o volume vem caindo expressivamente. Talvez seja o caso de aguardar um pouco mais, mesmo sob pena de ter que comprar mais caro, porém, com mais segurança. Isto daria tempo de ter informações mais seguras sob os riscos cambiais a que ela, possivelmente, tenha se exposto.

Imagem

Dez 28, 2008 11:30
Atila Savoy Forista Assíduo
Mensagens: 957
Atila Savoy
Registrado em:
Dez 14, 2007 16:36
 
 
Em momentos de crise, com mercado avesso a risco, as análises tradicionais de P/L e P/VPA ou ROE não são suficientes. Estes dados não indicam se a empresa está financeiramente saudável, endividada ou não. Mais do que olhar para os lucros e para o patrimônio (parte boa da empresa), tem que olhar para o caixa da empresa e para as dívidas (parte ruim).

A relação dívida bruta/patrimônio líquido da FHER3 está em 1,32, provavelmente a mais alta da Bovespa, excluindo micos, claro. Só para comparar, a PETR4, que tanto se fala que está sem grana, que precisou de empréstimos de emergência de bancos federais para capital de giro e etc, tem essa mesma relação em 0,33.

A baixa cotação da ação reflete o alto endividamento da empresa. Mercado entende que em um ambiente de crise, com restrições de crédito, empresas já muito alavancadas como a FHER podem ter problemas para rolar dívidas e obter novos empréstimos. Se a crise agravar e começar a quebrar empresas boas, FHER é uma candidata à falência.

O prejuízo do 3T também reflete isso, pois a empresa teve excelente desempenho operacional, mas a alta de sua dívida indexada ao dolar foi muito maior, comendo todo o lucro operacional e ainda deixando um belo prejú.

Por isso que a empresa não se recuperou como outras nestas últimas semanas. Mercado desconfiado de que ela vai conseguir suportar as dívidas durante a crise.

Comprar FHER com base em análise fundamentalista agora é acreditar que a crise não vai atingir o o Brasil e o agronegócio de forma forte e que os resultados operacionais vão continuar bons. É acreditar que o dolar não vai subir mais e vai até recuar, aliviando a dívida da empresa que tanto impactou o 3T. É acreditar que enquanto isso a empresa vai conseguir dinheiro público para rolar suas dívidas até o fim da crise.

É um cenário possível? Sem dúvida. Mas convenhamos que é imaginar um cenário otimista, e ser otimista no meio da maior crise desde a depressão de 29 é no mínimo nadar contra a corrente, não querer ver o que está acontecendo ao redor...

Se for olhar por AT, o gráfico é um tobogã... Vermelho, pra baixo e nem repica. É segurar faca caindo.

Eu prefiro investir agora em empresas mais sólidas financeiramente, entendo que o risco da FHER está alto demais. Mas como todo investimento arriscado, se der certo, o retorno promete ser bom.

Dez 28, 2008 13:21
Yankee
Yankee
 
 
Atila Savoy escreveu:Em momentos de crise, com mercado avesso a risco, as análises tradicionais de P/L e P/VPA ou ROE não são suficientes. Estes dados não indicam se a empresa está financeiramente saudável, endividada ou não. Mais do que olhar para os lucros e para o patrimônio (parte boa da empresa), tem que olhar para o caixa da empresa e para as dívidas (parte ruim).

A relação dívida bruta/patrimônio líquido da FHER3 está em 1,32, provavelmente a mais alta da Bovespa, excluindo micos, claro. Só para comparar, a PETR4, que tanto se fala que está sem grana, que precisou de empréstimos de emergência de bancos federais para capital de giro e etc, tem essa mesma relação em 0,33.

A baixa cotação da ação reflete o alto endividamento da empresa. Mercado entende que em um ambiente de crise, com restrições de crédito, empresas já muito alavancadas como a FHER podem ter problemas para rolar dívidas e obter novos empréstimos. Se a crise agravar e começar a quebrar empresas boas, FHER é uma candidata à falência.

O prejuízo do 3T também reflete isso, pois a empresa teve excelente desempenho operacional, mas a alta de sua dívida indexada ao dolar foi muito maior, comendo todo o lucro operacional e ainda deixando um belo prejú.

Por isso que a empresa não se recuperou como outras nestas últimas semanas. Mercado desconfiado de que ela vai conseguir suportar as dívidas durante a crise.

Comprar FHER com base em análise fundamentalista agora é acreditar que a crise não vai atingir o o Brasil e o agronegócio de forma forte e que os resultados operacionais vão continuar bons. É acreditar que o dolar não vai subir mais e vai até recuar, aliviando a dívida da empresa que tanto impactou o 3T. É acreditar que enquanto isso a empresa vai conseguir dinheiro público para rolar suas dívidas até o fim da crise.

É um cenário possível? Sem dúvida. Mas convenhamos que é imaginar um cenário otimista, e ser otimista no meio da maior crise desde a depressão de 29 é no mínimo nadar contra a corrente, não querer ver o que está acontecendo ao redor...

Se for olhar por AT, o gráfico é um tobogã... Vermelho, pra baixo e nem repica. É segurar faca caindo.

Eu prefiro investir agora em empresas mais sólidas financeiramente, entendo que o risco da FHER está alto demais. Mas como todo investimento arriscado, se der certo, o retorno promete ser bom.


Comentário excelente. Endosso in totum.

Dez 28, 2008 13:26
Tilt Geral Estreante
Mensagens: 98
Tilt Geral
Registrado em:
Out 14, 2008 2:43
 
 
Atila Savoy escreveu:Em momentos de crise, com mercado avesso a risco, as análises tradicionais de P/L e P/VPA ou ROE não são suficientes. Estes dados não indicam se a empresa está financeiramente saudável, endividada ou não. Mais do que olhar para os lucros e para o patrimônio (parte boa da empresa), tem que olhar para o caixa da empresa e para as dívidas (parte ruim).

A relação dívida bruta/patrimônio líquido da FHER3 está em 1,32, provavelmente a mais alta da Bovespa, excluindo micos, claro. Só para comparar, a PETR4, que tanto se fala que está sem grana, que precisou de empréstimos de emergência de bancos federais para capital de giro e etc, tem essa mesma relação em 0,33.

A baixa cotação da ação reflete o alto endividamento da empresa. Mercado entende que em um ambiente de crise, com restrições de crédito, empresas já muito alavancadas como a FHER podem ter problemas para rolar dívidas e obter novos empréstimos. Se a crise agravar e começar a quebrar empresas boas, FHER é uma candidata à falência.

O prejuízo do 3T também reflete isso, pois a empresa teve excelente desempenho operacional, mas a alta de sua dívida indexada ao dolar foi muito maior, comendo todo o lucro operacional e ainda deixando um belo prejú.

Por isso que a empresa não se recuperou como outras nestas últimas semanas. Mercado desconfiado de que ela vai conseguir suportar as dívidas durante a crise.

Comprar FHER com base em análise fundamentalista agora é acreditar que a crise não vai atingir o o Brasil e o agronegócio de forma forte e que os resultados operacionais vão continuar bons. É acreditar que o dolar não vai subir mais e vai até recuar, aliviando a dívida da empresa que tanto impactou o 3T. É acreditar que enquanto isso a empresa vai conseguir dinheiro público para rolar suas dívidas até o fim da crise.

É um cenário possível? Sem dúvida. Mas convenhamos que é imaginar um cenário otimista, e ser otimista no meio da maior crise desde a depressão de 29 é no mínimo nadar contra a corrente, não querer ver o que está acontecendo ao redor...

Se for olhar por AT, o gráfico é um tobogã... Vermelho, pra baixo e nem repica. É segurar faca caindo.

Eu prefiro investir agora em empresas mais sólidas financeiramente, entendo que o risco da FHER está alto demais. Mas como todo investimento arriscado, se der certo, o retorno promete ser bom.



Achei ótima sua análise, Atila SAvoy, conseguiu pesar bens os fatores importantes no caso da Fher3.
Realmente, não é totalmente seguro comprar essa ação agora por causa da crise e do grau de endividamento da empresa.

Sua análise me chamou a atenção e fui dar uma olhada de novo nos números.

A relação dívida bruta/PL é 132% no 3T08 de fato. Isso aconteceu em decorrÊncia da variação cambial de 3T08, ou seja, antes disso esse número era bem menor: 23,97% e 59,05% em 09/2007 e 12/2007.
Os empréstimos de curto prazo dela, em dolares e euros, eram de R$469milhões em 06/2008 (vide release de 06/2008 no site da empresa). A variação cambial ocasionou o preju de 09/2008, mas mesmo assim ela tinha caixa operacional para arcar com esse crescimento, conforme indica seu release "resultados de 3T08" do site da empresa, que cito abaixo:

DESTAQUES DO PERÍODO (3T08)
 Crescimento de 70% da receita bruta no trimestre.
 Aumento de 120% do lucro bruto no trimestre. O lucro bruto alcançou R$ 136,1 milhões, 120% superior aos R$ 61,9 milhões do 3T07.
 Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas. No trimestre, as despesas com vendas, gerais e administrativas, como percentual da receita líquida, recuaram 220 pontos base, para 6,1% no 3T08, contra 8,3% do 3T07.
 Crescimento de 370% do EBITDA no trimestre.
 Lucro líquido impactado por despesa financeira sem efeito caixa no curto prazo decorrente da desvalorização do real. O resultado líquido do trimestre ficou negativo em R$ 72,3 milhões, em função da variação cambial do período, que gera despesa financeira sem efeito caixa no curto prazo. Nos 9M08 o lucro líquido recuou para R$ 24,7 milhões ante R$ 46,3 milhões dos 9M07.
 Crescimento do Market Share. A Heringer atingiu 13,5% de market-share nacional no trimestre, contra 12,1% no 3T07, aumento de 140 pontos base.
 Aumento da base de clientes. A base de clientes cresceu 10% no trimestre, passando de 11,8 mil clientes no 3° trimestre de 2007, para quase 13 mil clientes no 3° trimestre de 2008.
 Inauguração de novas unidades. A Heringer inaugurou sua unidade de produção de Ácido Sulfúrico e SSP em Paranaguá-PR, dando início ao processo de verticalização e duas novas unidades misturadoras, uma em Iguatama-MG e outra em Catalão-GO.


Esse release indica que ela tem ótima performance operacional, seu mercado é muito bom (de base, oligopolizado, e por isso ela sempre vai vender bem).
Eu estou bem na dúvida; vou ficar de olho; dentre a ações mais baratas da bolsa, essa é que mais me chama a atenção (baratas = P/VPA) por causa da solidez dos seus fundamentos e da da importância do setor de atuação. Além disso, sua dívida é bem justificável, porque os releases indicam que ela está se expandindo, comprando novas unidades e construindo outras.
Enfim, nessa época em que a bolsa tá cheio de gráficos no chão, estou tentando garimpar boas oportunidades e essa realmente me chama a atenção... EITA DÚVIDA!

Dez 28, 2008 13:47
Shield Forista Assíduo
Mensagens: 1182
Avatar do usuário
Registrado em:
Nov 02, 2007 10:39
 
 
A relação divida bruta / patrimônio líquido é -0,62:

Dív. Bruta 87.918.000

dividido

Patrim. Líq -140.973.000

igual - 0,62365133749015768977038156242685


Segundo o site f¨u¨n¨d¨a¨m¨e¨n¨t¨u¨s:
http://$%¨#$%/detalhes. ... x=806&y=71


Para quem está em dúvida sobre investir ou não, use a estratégia de Benjamim Graham de diversificação que é veemente condenada por warren buffett, que diz:quem diversifica não sabe o que está fazendo. rs

Enfim, é melhor pecar pelo excesso do que pela falta.

É isso aí.





:arrow:

Dez 28, 2008 14:02
Tilt Geral Estreante
Mensagens: 98
Tilt Geral
Registrado em:
Out 14, 2008 2:43
 
 
Shield escreveu:A relação divida bruta / patrimônio líquido é -0,62:

Dív. Bruta 87.918.000

dividido

Patrim. Líq -140.973.000

igual - 0,62365133749015768977038156242685


Segundo o site f¨u¨n¨d¨a¨m¨e¨n¨t¨u¨s:
http://$%¨#$%/detalhes.php?papel=wisa4&x=806&y=71


Para quem está em dúvida sobre investir ou não, use a estratégia de Benjamim Graham de diversificação que é veemente condenada por warren buffett, que diz:quem diversifica não sabe o que está fazendo. rs

Enfim, é melhor pecar pelo excesso do que pela falta.

É isso aí.





:arrow:




Shield, não sei onde conseguiu esses números, mas tá errado...
O PL da FHER3 em 09/2008 é de 516M; Seus empréstimos e financiamentos de curto e longo prazo são 686M, o que dá uma relação emprest/PL de 132% , ou 1,32 (dados do site da empresa).

Mas isso não significa que ela não consegue arcar com isso, pelo contrário. Seu ativo circulante + realizável a LP é MAIOR que seu passivo circulante + exigível a LP, ou seja, ela tem folga de caixa.

De novo dei uma olhada no release de 3T08 e encontrei mais pontos favoráveis à empresa, no que se refere à geração de caixa e capacidade de pagamentos:


Fluxo de Caixa Caixa líquido utilizado nas atividades operacionais O caixa líquido consumido nas atividades operacionais no 3T08 foi de R$ 11,0 milhões. Uma parcela significativa do caixa foi utilizada aumentando os estoques, que aumentaram em função das compras que já haviam sido embarcadas e/ou contratadas no final do 2T08. Outra parcela significativa do caixa foi consumida pelo aumento do valor absoluto do grupo Contas a Receber, em função do aumento do faturamento no período (mantendo o mesmo nível de dias de contas a receber). Adicionalmente, houve reversão do IRPJ despendido nos primeiros seis meses do ano, que gerou no 3T08 aumento importante do grupo Tributos a Recuperar, e, por conseguinte, consumo do caixa. Do outro lado, na parte de contas a pagar, a companhia gerou caixa, aumentando seu valor com fornecedores e utilizando o instrumento de financiamento à importação (FINIMP). A companhia deu continuidade à estratégia de usar o instrumento de financiamento à importação (FINIMP), quando a taxa de juros dos financiamentos à importação (FINIMP) se mostrou mais atraente do que os juros embutidos nos preços a prazo de fornecedores internacionais. (A conta de “empréstimos e financiamentos” de curto prazo no balanço patrimonial é 99% constituída de empréstimos FINIMP—para compra de estoques). Alem disso, optou por pagamentos à vista para fornecedores nacionais evitando altos juros embutidos nos preços. Caixa utilizado nas atividades de investimento O caixa utilizado nas atividades de investimento foi de R$ 50,0 milhões no 3T08. Este valor utilizado decorre principalmente do projeto de fabricação do SSP e dos investimentos nas unidades misturadoras. O CAPEX para 2009 está sendo revisado pela Companhia. Caixa utilizado nas atividades de financiamento No 3T08, o caixa utilizado nas atividades de financiamento foi de R$ 1,8 milhões.

Dez 28, 2008 14:13
Atila Savoy Forista Assíduo
Mensagens: 957
Atila Savoy
Registrado em:
Dez 14, 2007 16:36
 
 
Tilt Geral escreveu:Achei ótima sua análise, Atila SAvoy, conseguiu pesar bens os fatores importantes no caso da Fher3.
Realmente, não é totalmente seguro comprar essa ação agora por causa da crise e do grau de endividamento da empresa.

Sua análise me chamou a atenção e fui dar uma olhada de novo nos números.

A relação dívida bruta/PL é 132% no 3T08 de fato. Isso aconteceu em decorrÊncia da variação cambial de 3T08, ou seja, antes disso esse número era bem menor: 23,97% e 59,05% em 09/2007 e 12/2007.
Os empréstimos de curto prazo dela, em dolares e euros, eram de R$469milhões em 06/2008 (vide release de 06/2008 no site da empresa). A variação cambial ocasionou o preju de 09/2008, mas mesmo assim ela tinha caixa operacional para arcar com esse crescimento, conforme indica seu release "resultados de 3T08" do site da empresa, que cito abaixo:

DESTAQUES DO PERÍODO (3T08)
 Crescimento de 70% da receita bruta no trimestre.
 Aumento de 120% do lucro bruto no trimestre. O lucro bruto alcançou R$ 136,1 milhões, 120% superior aos R$ 61,9 milhões do 3T07.
 Despesas com Vendas, Gerais e Administrativas. No trimestre, as despesas com vendas, gerais e administrativas, como percentual da receita líquida, recuaram 220 pontos base, para 6,1% no 3T08, contra 8,3% do 3T07.
 Crescimento de 370% do EBITDA no trimestre.
 Lucro líquido impactado por despesa financeira sem efeito caixa no curto prazo decorrente da desvalorização do real. O resultado líquido do trimestre ficou negativo em R$ 72,3 milhões, em função da variação cambial do período, que gera despesa financeira sem efeito caixa no curto prazo. Nos 9M08 o lucro líquido recuou para R$ 24,7 milhões ante R$ 46,3 milhões dos 9M07.
 Crescimento do Market Share. A Heringer atingiu 13,5% de market-share nacional no trimestre, contra 12,1% no 3T07, aumento de 140 pontos base.
 Aumento da base de clientes. A base de clientes cresceu 10% no trimestre, passando de 11,8 mil clientes no 3° trimestre de 2007, para quase 13 mil clientes no 3° trimestre de 2008.
 Inauguração de novas unidades. A Heringer inaugurou sua unidade de produção de Ácido Sulfúrico e SSP em Paranaguá-PR, dando início ao processo de verticalização e duas novas unidades misturadoras, uma em Iguatama-MG e outra em Catalão-GO.


Esse release indica que ela tem ótima performance operacional, seu mercado é muito bom (de base, oligopolizado, e por isso ela sempre vai vender bem).
Eu estou bem na dúvida; vou ficar de olho; dentre a ações mais baratas da bolsa, essa é que mais me chama a atenção (baratas = P/VPA) por causa da solidez dos seus fundamentos e da da importância do setor de atuação. Além disso, sua dívida é bem justificável, porque os releases indicam que ela está se expandindo, comprando novas unidades e construindo outras.
Enfim, nessa época em que a bolsa tá cheio de gráficos no chão, estou tentando garimpar boas oportunidades e essa realmente me chama a atenção... EITA DÚVIDA!


Tilt,

Legal poder manter uma conversa inteligente, baseada em dados. Faz tempo que isso nao r.olava nesse forum...

Esta é uma empresa que gosto bastante e já tive ações dela em vários momentos desde o IPO. Mesmo achando que agora o risco dela esta alto, nunca a tiro do meu HB, to sempre de olho. O bom desempenho operacional desde o IPO é um forte motivo para isso.

Mas é certo que ela tem uma dívida alta e dolarizada e precisa manter um desempenho operacional excelente para conseguir fazer frente a isso. Ela vai conseguir manter este desempenho operacional no meio da crise? Se acredita que sim, é a hora de comprar.

Eu tenho muitas dúvidas. De tudo que li sobre o impacto da crise no agronegócio, vi que o menor uso de fertilizantes é uma das principais formas do agricultor economizar, mesmo perdendo produtividade. Afinal, quem quer produzir grandes quantidades quando o preço dos grãos está tão baixo, às vezes nem cobrindo o custo de produção? Sob a ótica do agricultor, melhor guardar o dinheiro para gastar com fertilizantes quando os preços estiverem melhores.

Depois que sairem os resultados do quarto trimestre, talvez seja possível avaliar o impacto da crise na operação da FHER, lembrando que pela sazonalidade do setor ela geralmente tem bons quartos trimestres e isso deve ser levado em conta. Não acredito que ela vá manter o mesmo desempenho. Se o baque for leve, posso analisar uma volta. Se for muito forte, fico de fora.

Outra coisa que vale ficar atento, é que a FHER investiu muito nos últimos dois anos (daí a origem da dívida), justamente um momento de custos altos. Agora, com os custos caindo, muitas oportunidades surgirão, mas a FHER não poderá aproveitá-las pois já está endividada... Assim, é uma candidata a ser comprada e não uma compradora.

Olha a FFTL4. Empresa com dinheiro em caixa e dívida zero. A maior do setor. É mais indústria de base do que a FHER, já que faz até mineração de fertilizantes básicos. Margens de lucro sao bem maiores do que as da FHER (isso eh outra coisa que nao gosto na FHER, a margem de lucro eh muito apertada). É uma que pode fazer aquisições e crescer.

FFTL4 seria a minha pedida no setor (lembrando que é um setor que está sofrendo muito com a crise, melhor olhar tudo com cuidado). Só o que não me agrada nela é uma disputa mal resolvida entre os sócios, Bunge e Cargill. Briga de gente grande, nao me animo a meter a colher... Mas fico de olho.

Abraco,

Atila
Editado pela última vez por Atila Savoy em Dez 28, 2008 14:27, em um total de 1 vez.

Dez 28, 2008 14:25
Atila Savoy Forista Assíduo
Mensagens: 957
Atila Savoy
Registrado em:
Dez 14, 2007 16:36
 
 
Shield escreveu:A relação divida bruta / patrimônio líquido é -0,62:

Dív. Bruta 87.918.000

dividido

Patrim. Líq -140.973.000

igual - 0,62365133749015768977038156242685


Segundo o site f¨u¨n¨d¨a¨m¨e¨n¨t¨u¨s:
http://$%¨#$%/detalhes.php?papel=wisa4&x=806&y=71


Para quem está em dúvida sobre investir ou não, use a estratégia de Benjamim Graham de diversificação que é veemente condenada por warren buffett, que diz:quem diversifica não sabe o que está fazendo. rs

Enfim, é melhor pecar pelo excesso do que pela falta.

É isso aí.





:arrow:


Shield,

Estes numeros, e o proprio link que vc colou, sao da WISA4... Da uma olhada na FHER3, os dados sao outros, conferem com os que eu e o Tilt Geral citamos.

Lembrando que o alto endividamento da FHER nao quer dizer que eh uma empresa quebrada, pelo contrario, seu patrimonio liquido eh bem positivo... Mas esta no limite da alavancagem.

Abraco,

Atila
Editado pela última vez por Atila Savoy em Dez 28, 2008 14:29, em um total de 1 vez.

Dez 28, 2008 14:28
Tilt Geral Estreante
Mensagens: 98
Tilt Geral
Registrado em:
Out 14, 2008 2:43
 
 
Tilt,

Legal poder manter uma conversa inteligente, baseada em dados. Faz tempo que isso nao r.olava nesse forum...

Esta é uma empresa que gosto bastante e já tive ações dela em vários momentos desde o IPO. Mesmo achando que agora o risco dela esta alto, nunca a tiro do meu HB, to sempre de olho. O bom desempenho operacional desde o IPO é um forte motivo para isso.

Mas é certo que ela tem uma dívida alta e dolarizada e precisa manter um desempenho operacional excelente para conseguir fazer frente a isso. Ela vai conseguir manter este desempenho operacional no meio da crise? Se acredita que sim, é a hora de comprar.

Eu tenho muitas dúvidas. De tudo que li sobre o impacto da crise no agronegócio, vi que o menor uso de fertilizantes é uma das principais formas do agricultor economizar, mesmo perdendo produtividade. Afinal, quem quer produzir grandes quantidades quando o preço dos grãos está tão baixo, às vezes nem cobrindo o custo de produção? Sob a ótica do agricultor, melhor guardar o dinheiro para gastar com fertilizantes quando os preços estiverem melhores.

Depois que sairem os resultados do quarto trimestre, talvez seja possível avaliar o impacto da crise na operação da FHER, lembrando que pela sazonalidade do setor ela geralmente tem bons quartos trimestres e isso deve ser levado em conta. Não acredito que ela vá manter o mesmo desempenho. Se o baque for leve, posso analisar uma volta. Se for muito forte, fico de fora.

Outra coisa que vale ficar atento, é que a FHER investiu muito nos últimos dois anos (daí a origem da dívida), justamente um momento de custos altos. Agora, com os custos caindo, muitas oportunidades surgirão, mas a FHER não poderá aproveitá-las pois já está endividada... Assim, é uma candidata a ser comprada e não uma compradora.

Olha a FFTL4. Empresa com dinheiro em caixa e dívida zero. A maior do setor. É mais indústria de base do que a FHER, já que faz até mineração de fertilizantes básicos. Margens de lucro sao bem maiores do que as da FHER (isso eh outra coisa que nao gosto na FHER, a margem de lucro eh muito apertada É uma que pode fazer aquisições e crescer.

FFTL4 seria a minha pedida no setor (lembrando que é um setor que está sofrendo muito com a crise, melhor olhar tudo com cuidado). Só o que não me agrada nela é uma disputa mal resolvida entre os sócios, Bunge e Cargill. Briga de gente grande, nao me animo a meter a colher... Mas fico de olho.

Abraco,

Atila



É isso aí, Átila, acho que é para isso que um fórum de discussão sobre bolsa serve.

Novamente, vc postou um ótimo tópico, trazendo mais elementos que eu não considerava antes.

De fato, é provável que o mercado de fertilizantes possa dar uma caída com a crise. Apesar do produto ser essencial para uma boa safra, os agricultores podem tomar a decisão que vc mencionou.

Enfim, até agora a conclusão a que chego é que a Fher3 tem tem ótimos fundamentos internos, mas os fundamentos externos são duvidosos.
Isso põe em dúvida a aquisição da ação, por mais barata que possa estar.

Quanto à possibilidade da Fher3 ser comprada, isso seria bom... Afinal, com P/VPA a 0,30, numa aquisição por outro grupo maior, tipo FFTL, iria dar um salto para cima no preço da ação, não acha?

Bom, é isso aí, vou continuar pensando :D :shock: :?:
Abraço!

Dez 28, 2008 14:39
Shield Forista Assíduo
Mensagens: 1182
Avatar do usuário
Registrado em:
Nov 02, 2007 10:39
 
 
Atila Savoy escreveu:
Shield escreveu:A relação divida bruta / patrimônio líquido é -0,62:

Dív. Bruta 87.918.000

dividido

Patrim. Líq -140.973.000

igual - 0,62365133749015768977038156242685


Segundo o site f¨u¨n¨d¨a¨m¨e¨n¨t¨u¨s:
http://$%¨#$%/detalhes.php?papel=wisa4&x=806&y=71


Para quem está em dúvida sobre investir ou não, use a estratégia de Benjamim Graham de diversificação que é veemente condenada por warren buffett, que diz:quem diversifica não sabe o que está fazendo. rs

Enfim, é melhor pecar pelo excesso do que pela falta.

É isso aí.





:arrow:


Shield,

Estes numeros, e o proprio link que vc colou, sao da WISA4... Da uma olhada na FHER3, os dados sao outros, conferem com os que eu e o Tilt Geral citamos.

Lembrando que o alto endividamento da FHER nao quer dizer que eh uma empresa quebrada, pelo contrario, seu patrimonio liquido eh bem positivo... Mas esta no limite da alavancagem.

Abraco,

Atila



Valeu atila é que estava no bookmarks com a wisa4 rs, e nem atualizei.

Outro site muito bom que consulto:

http://%#$/raiox/resu ... digo=12330

O nível aqui desta sala está muito bom, vamos acompanhar de perto este ativo como warren e ben faziam. rs

Um feliz 2009 para todos.

É isso aí.

Dez 28, 2008 14:44
Atila Savoy Forista Assíduo
Mensagens: 957
Atila Savoy
Registrado em:
Dez 14, 2007 16:36
 
 
Tilt Geral escreveu:É isso aí, Átila, acho que é para isso que um fórum de discussão sobre bolsa serve.

Novamente, vc postou um ótimo tópico, trazendo mais elementos que eu não considerava antes.

De fato, é provável que o mercado de fertilizantes possa dar uma caída com a crise. Apesar do produto ser essencial para uma boa safra, os agricultores podem tomar a decisão que vc mencionou.

Enfim, até agora a conclusão a que chego é que a Fher3 tem tem ótimos fundamentos internos, mas os fundamentos externos são duvidosos.
Isso põe em dúvida a aquisição da ação, por mais barata que possa estar.

Quanto à possibilidade da Fher3 ser comprada, isso seria bom... Afinal, com P/VPA a 0,30, numa aquisição por outro grupo maior, tipo FFTL, iria dar um salto para cima no preço da ação, não acha?

Bom, é isso aí, vou continuar pensando :D :shock: :?:
Abraço!


Tilt,

Esses mutiplos baixos sao tentadores mesmo, mas concordo que as incertezas externas afetam demais a FHER... Mas ja pensou se da tudo certo, a crise passa logo? Ela volta aos 15,00/20,00, o que da uns 600%... Vixe. Relacao risco alto/retorno alto.

Certamente uma aquisicao teria que ser por bem mais do que R$ 3,00 cada acao, daria um belo salto ate chegar a um P/VPA melhor, que fosse atrativo para os controladores... Nunca ouvi boatos sobre venda da FHER3, mas eh outra coisa a se considerar. Se o cenario piorar rapido para ela, os controladores podem ser obrigados a vender...

O balanco do quarto trimestre sera muito legal de ver. Enquanto isso, acompanho por AT. Como tem baixa liquidez, alguem com informacoes privilegiadas (sobre um desempenho operacional acima do esperado ou sobre uma venda da empresa) que comecar a comprar nao vai passar despercebido.

Abraco,

Atila

Dez 28, 2008 16:40
Shield Forista Assíduo
Mensagens: 1182
Avatar do usuário
Registrado em:
Nov 02, 2007 10:39
 
 
Achei dois links interessantes:


Setor de insumo entra na fila por empréstimo

O valor total do pedido para socorrer as indústrias supera R$ 7 bilhões, R$ 6 bilhões apenas para as empresas de fertilizantes

A estagnação das vendas internas de insumos agrícolas, em especial de fertilizantes, levou as entidades representativas do setor a irem em busca de empréstimos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). O valor total do pedido para socorrer as indústrias supera R$ 7 bilhões, R$ 6 bilhões apenas para as empresas de fertilizantes - a maioria delas é multinacional.


http://www.capitalnews.com.br/ver_not.p ... %C3%ADcias



Demanda por fertilizante fechará ano com queda
24/12
A preocupação do setor produtivo quanto à diminuição do uso de tecnologia nas lavouras se confirma agora em números: a previsão é de queda de quase 7% na demanda por fertilizantes no ano de 2008 e de 49,8% em novembro de 2008, se comparado ao mesmo mês do ano passado. Apesar da baixa acentuada, o presidente do Sindicato da Indústria de Fertilizantes do Rio Grande do Sul (Siargs), Torvaldo Marzolla, diz não tratar-se de um "desastre tão feio".

"Estamos tranqüilos, pois sabemos que o mundo cada vez mais precisa se alimentar, o que refletirá na procura por insumos", salientou. Além da retração de consumo pela alta dos preços dos fertilizantes, a justificativa para a queda da demanda em novembro está na antecipação dos agricultores em comprar os produtos. Dados do Siargs mostram que, ao contrário do que ocorreu em outros anos, com a demanda chegando a 30% no primeiro semestre e 70% no segundo, desta vez a procura ficou dividida em 50%. "Muitos agricultores conscientes e com dinheiro no bolso se anteciparam e compraram mais no primeiro semestre de 2008", explica o dirigente.

Sobre a redução do uso de tecnologia nas lavouras, Marzola afirmou que a opção deveria ter sido por redimensionamento de área, para evitar uma possível frustração de safra. Para o presidente do Siargs, a queda na procura pelos adubos também pode ser justificada pela redução dos valores das commodities no mercado internacional. "Os preços caíram dramaticamente o que fez muitos optarem por economizar nas lavouras."

A retração nas vendas tem sido registrada desde outubro, tendo se acentuado em novembro e dezembro. Dados da Associação Nacional para Difusão de Adubos (Anda) dão conta de que no mês passado foram entregues 1,19 milhão de toneladas, quase 50% menos que o negociado em novembro de 2007 e 41,3% abaixo do volume vendido no mês anterior.

Sobre os preços, Marzolla disse que já foi registrada queda, não muito acentuada em função da alta do dólar. Segundo ele, a baixa nos preços do petróleo influencia apenas os preços do nitrogênio, sendo que o potássio e o fósforo são balizados por um somatório de fatores. "Não basta apenas baixar o preço do petróleo para reduziu o dos fertilizantes."

Jornal do Comércio

http://www.agrolink.com.br/noticias/Cli ... cia=124362

Sigamos confiantes.

É isso aí.



:arrow:

Dez 28, 2008 20:11
Martin Forista Assíduo
Mensagens: 349
Martin
Registrado em:
Mai 26, 2008 10:35
 
 
Muito bom o papo, realmente. Cantinflas leu bastante :)

Pouca coisa a agregar ao que ja falaram (e muito bem falado): Nao se faz nada sem fertilizantes, são indispensaveis a produção agroPECUARIA (notem o pecuaria, sem pastagens, sem confinamentos = pouco boi gordo, pastagens e confinamentos precisam produção agricola q demanda fertilizantes) Rações de frango, suinos idem.
Logo, acredito que é certo numa queda da produção e por consequencia uma queda nas vendas de fertilizantes, mas nao vao deixar de usa-los.
Se o certo é jogar 100kg por hectare de fertilizante, nenhum agricultor vai jogar 20 ou 40kg pq esta em crise, é melhor nao plantar mesmo, e por isso que vai cair a venda dos fertilizantes, menor area plantada (ou de colheita em alguns casos).

EU acredito em um boom da agropecuaria daqui a uns anos, poucos se continuar assim, 2 ou 3 maximo (logico que com um "encolhimento" previo do setor)
Vamos supor um caso hipotetico.

Produtor agropecuario, divida de 100 R$ por res, uma res vale 200 R$ (digamos q pese 400kg e isso sao 0,5 R$/kg) Com o U$S a 1,8R$ o kg é 0,3U$S/kg, deixamos isso como se fosse o preço internacional(0,277777 pra ser exato) com o U$S a 2,5 seu kg passa a ser de 0,6 R$/kg e com o dolar a 3 R$ é de 0,9R$/kg.
Vale salientar q ainda estamos num caso hipotetico, a transição sera vista em um tempo.
Pois bem... mercado externo manda no preço, antes eu devia 50% do meu boi, *supondo* q os preços internacionais nao mudem muito, com o dolar a 3, se eu nao falir antes :) , eu devo os mesmos 100 R$ mas meu produto esta sendo vendido a 0,9 R$ o kg o que daria uma res de 400kg = 360 R$. Logo, de dever 50% do boi, passo a dever 28% dele, aumentando meu lucro em reais. Logico que aumentam muitos dos meus insumos, mas no geral saio ganhando por um bom tempo.

Isso ja aconteceu quando quebrou o real, vi isso de perto e deu uma BOA aliviada no setor.

Abraços a todos e novamente, muito bom o teor da conversa

Dez 28, 2008 21:39
Tilt Geral Estreante
Mensagens: 98
Tilt Geral
Registrado em:
Out 14, 2008 2:43
 
 
Martin escreveu:Muito bom o papo, realmente. Cantinflas leu bastante :)

Pouca coisa a agregar ao que ja falaram (e muito bem falado): Nao se faz nada sem fertilizantes, são indispensaveis a produção agroPECUARIA (notem o pecuaria, sem pastagens, sem confinamentos = pouco boi gordo, pastagens e confinamentos precisam produção agricola q demanda fertilizantes) Rações de frango, suinos idem.
Logo, acredito que é certo numa queda da produção e por consequencia uma queda nas vendas de fertilizantes, mas nao vao deixar de usa-los.
Se o certo é jogar 100kg por hectare de fertilizante, nenhum agricultor vai jogar 20 ou 40kg pq esta em crise, é melhor nao plantar mesmo, e por isso que vai cair a venda dos fertilizantes, menor area plantada (ou de colheita em alguns casos).

EU acredito em um boom da agropecuaria daqui a uns anos, poucos se continuar assim, 2 ou 3 maximo (logico que com um "encolhimento" previo do setor)
Vamos supor um caso hipotetico.

Produtor agropecuario, divida de 100 R$ por res, uma res vale 200 R$ (digamos q pese 400kg e isso sao 0,5 R$/kg) Com o U$S a 1,8R$ o kg é 0,3U$S/kg, deixamos isso como se fosse o preço internacional(0,277777 pra ser exato) com o U$S a 2,5 seu kg passa a ser de 0,6 R$/kg e com o dolar a 3 R$ é de 0,9R$/kg.
Vale salientar q ainda estamos num caso hipotetico, a transição sera vista em um tempo.
Pois bem... mercado externo manda no preço, antes eu devia 50% do meu boi, *supondo* q os preços internacionais nao mudem muito, com o dolar a 3, se eu nao falir antes :) , eu devo os mesmos 100 R$ mas meu produto esta sendo vendido a 0,9 R$ o kg o que daria uma res de 400kg = 360 R$. Logo, de dever 50% do boi, passo a dever 28% dele, aumentando meu lucro em reais. Logico que aumentam muitos dos meus insumos, mas no geral saio ganhando por um bom tempo.

Isso ja aconteceu quando quebrou o real, vi isso de perto e deu uma BOA aliviada no setor.

Abraços a todos e novamente, muito bom o teor da conversa



Martin, o que ou quem é "Cantinflas'?

Gostei do seu post acima.
Se entendi, vc disse que, em resumo, o agropecuarista teria uma redução de dívida, caso os insumos (fertilizantes) aumentem de preço com o dólar e, ao mesmo tempo, o preço da carne exportada também aumente com o dólar. Então, ele teria aumento de lucratividade, apesar do aumento da matéria-prima.
Nesse cenário, a Fher3 não teria problemas em repassar o aumento dos preços para o agropecuarista em 2009, não é isso? Ou entendi errado?
Se for assim, então o cenário externo é favorável à Fher, que continua com boas perspectivas de vendas.

Átila, já que vc comentou sobre insiders, se tiver algum aqui, pode me mandar uma mensagem privada, beleza ?!?! :D :D

Dez 28, 2008 22:23
Martin Forista Assíduo
Mensagens: 349
Martin
Registrado em:
Mai 26, 2008 10:35
 
 
Tilt Geral escreveu:Martin, o que ou quem é "Cantinflas'?

Gostei do seu post acima.
Se entendi, vc disse que, em resumo, o agropecuarista teria uma redução de dívida, caso os insumos (fertilizantes) aumentem de preço com o dólar e, ao mesmo tempo, o preço da carne exportada também aumente com o dólar. Então, ele teria aumento de lucratividade, apesar do aumento da matéria-prima.
Nesse cenário, a Fher3 não teria problemas em repassar o aumento dos preços para o agropecuarista em 2009, não é isso? Ou entendi errado?
Se for assim, então o cenário externo é favorável à Fher, que continua com boas perspectivas de vendas.

Átila, já que vc comentou sobre insiders, se tiver algum aqui, pode me mandar uma mensagem privada, beleza ?!?! :D :D


Não, sua divida continuaria no mesmo valor (100R$) mas em % seria reduzida pq seu produto aumenta o valor de venda (de 200 pra 360)
Ao obter uma maior margem, ele aumenta seus bois, o q vai demandar mais comida (pastagem, graos). Ou no caso do agricultor, aumenta a area plantada, aumenta o investimento em geral.
A Heringer nao tem problemas em repassar os aumentos consequentes da alta do dolar aos seus clientes, eles so vao deixar de comprar qdo for pra trocar de fornecedor ou tiver uma redução da area plantada. Nao sei precisar o q é uma queda de vendas "normal" pra uma empresa de fertilizantes, mas acredito que pra uma empresa agropecuaria nao deve ser mais que 20% por hectarea. (pode ter uma queda maior pela redução da area)
Eu parti de um *suposto caso* que o preço da carne (ou qq commoditie) fique estavel por esse periodo, o q nos leva a vender ao mesmo preço em U$S, o que faz com que numa primeira instancia tenhamos um lucro alto (insumos a preço antigo, colheita com preço novo) e depois estabilizem os insumos, a divida continua em R$, e a margem aumenta.
Se o cenario externo favorece a fher ou fftl, ai entramos em outro assunto. Estamos numa crise, o setor vai sofrer, entao tem que ver qual empresa pode suportar melhor a crise e sair mais em condições de investimento depois dela. Agora é tempo de enxugar, adequar-se a produção estimada, cortar custos, revisar investimentos.
Eu prefiro olhar Liquidez, Caixa, Divida do que Valor Patrimonial nestes tempos.
Nada disso quer dizer que fher vai falir, ou crescer 100% nos proximos anos, são considerações validas pra qq empresa neste momento.
Eu tenho fher3 em carteira, mas isso pq acreditamos em lucros futuros baseados em lucros pasados, no momento que a empresa nao for lucrativa ou tiver outra com possibilidades melhor, troco sem dó.
Uma coisa que nao podemos esquecer de olhar sempre é o tamanho da empresa, uma empresa pequena normalmente tem multiplos muito melhores q uma concorrente maior, mas temos q evaluar o risco disso.

Próximo

Voltar para Mid Caps

Quem está online

Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 2 visitantes

cron